ROSÁRIO DE REPARAÇÃO NA PRAÇA DE SÃO PEDRO

Fonte: FSSPX Itália – Tradução: Dominus Est

Um grande grupo de fiéis (cerca de oitenta), liderado pela Milizia dell’Immacolata e acompanhado por alguns sacerdotes do Priorado de Albano Laziale (Lazio-Italia), se reuniram na Praça de São Pedro na segunda-feira à tarde para um ato de profissão pública de fé.

Pouco antes havia sido realizada, de fato, a cerimônia do “Vésperas” anglicanas na basílica central do cristianismo, com a aprovação da hierarquia vaticana. Este ato, certamente não é o primeiro de molde ecumênico nesses últimos cinquenta anos, mas que teve o triste privilégio de tido lugar na Basílica do Príncipe dos Apóstolos, despertou a justa indignação de muitos fiéis que procuraram expressar seu desacordo com uma oração de reparação: o encontro foi, portanto, marcado para as 16h na capela da via Urbana, em Roma, para a missa “Ad Tollendum Schisma” e em seguida, partiram para a Via della Conciliazione para a recitação pública do Rosário.

Depois de alguma discussão com a polícia, que parecia não querer permitir a realização das orações muito perto da basílica, o grupo se manteve firme em seu lugar, no topo da Via della Conciliazione, e, guiado por sacerdotes, de joelhos na calçada e voltados para a basílica vaticana, recitaram o santo Rosário e a ladainha de Nossa Senhora.

O grupo, em seguida, moveu-se, conforme os pedidos da polícia, para o Castel Sant’Angelo para entoarem algumas canções marianas e distribuir panfletos à população, a fim de explicar o alcance desse gesto ecumênico e o significado da oração de reparação.

Após este belo testemunho de fé, tudo terminou de forma organizada por volta das 19h. Que o Senhor dê cada vez mais força aos católicos para resistir às tendências ecumênicas e coragem de expressar abertamente sua fé!

Uma ideia sobre “ROSÁRIO DE REPARAÇÃO NA PRAÇA DE SÃO PEDRO

  1. Após renunciar(?) o papa Bento XVI e com a entrada do papa Francisco, varios religiosos sairam das tumbas que, no pontificado anterior pareceriam estarem confinados nelas, pois compartilhariam com certas ideias e comportamentos de relativistas e inimigos da Igreja!
    Nesse caso, podemos enumerar os que seriam pertencentes ao grupo que se consideraria conspirador, que se denominou “Mafia de Saint Gallen” e teria sido denunciado pelo proprio D Daneels e ele mesmo seria um dos componentes desse grupo.
    Tem-se impressão dos “ecumenistas” que estariam hilariantes com seus avanços sumamente prejudiciais à Igreja, esquecendo-se que pesa sobre a cabeça desses eventuais conspiradores o que nos advertiu N Senhora do B Sucesso:
    “Será chegada então a minha hora, em que eu, de forma maravilhosa, destronarei o soberbo e maldito satanás, calcando-o debaixo dos meus pés e acorrentando-o no abismo infernal. Assim, a Igreja e a pátria estarão, por fim, livres de sua cruel tirania”.

Deixe uma resposta