OS CATÓLICOS E O MUNDO – PELO PE. CARLOS MESTRE, FSSPX

Sermão proferido pelo Revmo. Pe. Carlos Mestre, no Priorado S. Pio X de Lisboa, no Domingo depois da Ascensão, com uma reflexão sobre a atitude que os Católicos devem ter no Mundo, tão contrário aos valores da Santa Igreja.

FERRERO-ROCHER: UM CHOCOLATE INSPIRADO EM NOSSA SENHORA DE LOURDES

Ferrero-Rocher, chocolate inspirado em Nossa Senhora de Lourdes

Muitos conhecem a Ferrero Rocher pelos seus populares chocolates de avelã, mas a ligação da empresa com Nossa Senhora de Lourdes é menos conhecida.

Fonte: Medias-Presse-Info – Tradução: Dominus Est

Michele Ferrero, fundador da empresa e católico devoto, tinha uma profunda devoção à Bem-Aventurada Virgem Maria e queria honrá-la através do seu trabalho. Diz-se que ele chamou seu negócio de “Rocher” em homenagem à gruta rochosa, a Rocher de Massabielle, que marca o local onde a Virgem Maria apareceu a Santa Bernadete, em Lourdes.

“Devemos o sucesso da Ferrero a Nossa Senhora de Lourdes. Sem ela, não podemos fazer muita coisa.”

A cobertura crocante de chocolate e a embalagem dourada irregular são a tentativa da Ferrero de se assemelhar a essa formação rochosa de Lourdes, que tinha um significado especial para o chocolatier.

Por ocasião do 50º aniversário da fundação da empresa, Ferrero declarou: “Devemos o sucesso da Ferrero a Nossa Senhora de Lourdes. Sem ela, não podemos fazer muita coisa.”

Em entrevista datada de 2023, o Pe. Mauricio Elias, capelão do Santuário de Lourdes, confirmou: “O Sr. Ferrero tinha uma grande devoção pela Virgem de Lourdes, ele vinha muito a Lourdes e era um benfeitor.” Continuar lendo

13 DE MAIO – FESTA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

Resultado de imagem para nossa senhora de fatimaCLIQUE NA IMAGEM PARA ACESSAR O VÍDEO E O TEXTO

Outros excelentes textos sobre Fátima:

PLENA COMUNHÃO

O conceito de “comunhão” deve ser esclarecido. Celebrar a Pachamama, a Amoris laetitia ou a Fiducia Supplicans é realmente necessário para fazer parte da Igreja?

Fonte: La Porte Latine – Tradução: Dominus Est

Vou começar com uma anedota. No verão passado, um Irmão do Seminário de Zaitzkofen tirou alguns dias de férias em família. Ele quis fazer suas preces na igreja paroquial, na diocese de Aix-la Chapelle. A igreja estava ornamentada com as cores do arco-íris, mas não tinha nada a ver com o arco-íris de Noé…. O Irmão não se sentiu em plena comunhão com a prática eclesial daquela paróquia, e saiu para rezar em outro lugar.

Recentemente, o presidente da Conferência Episcopal Alemã, Mons. Bätzing, Bispo de Limburgo, afirmou publicamente que a homossexualidade ativa não era um pecado. Assim como o Cardeal Marx, Arcebispo de Munique.

Não estamos em plena comunhão doutrinária com eles, e lamentamos este fato, mas lamentamos por eles, porque não há dúvidas de que não podemos aderir a essa opinião.

O conceito de “comunhão“, por mais tradicional que seja, não é, contudo, de uma clareza e distinção evidentes. Sem dúvida, a vida da Igreja é uma ação santificadora comum, unificada por uma direção comum, que é aquela da hierarquia, cujo topo é o Papa – hoje, o Papa Francisco -, e a comunhão designa a integração nessa ação comum. Ela é expressa por vários sinais, desde as antigas cartas de comunhão entre Bispos, e com o Papa, até os atos administrativos de nomeação legítima, passando pelos atos litúrgicos (leituras de dípticos, beijo da paz, participação em cerimônias, etc.): o que se resume à unidade na profissão de fé e no culto divino, e na submissão à hierarquia legítima. Mas não é necessário aprovar ou cooperar com tudo o que todos os membros da Igreja dizem ou fazem. E a nomeação legítima de um clérigo para um cargo eclesiástico, embora lhe assegure as graças do estado e a legitimidade de suas ações, não o torna infalível para tudo isso (1). Podemos resistir à graça… Continuar lendo

02 DE MAIO – SANTO ATANÁSIO

No dia de Santo Atanásio, Bispo, Confessor e Doutor, um texto que merece um paralelo com nossos dias atuais:

Fonte: FSSPX Distrito do México – Tradução: Dominus Est

“ELES TÊM OS TEMPLOS, VÓS A FÉ APOSTÓLICA”

Carta de São Atanásio, Bispo de Alexandria, aos seus fiéis, onde lhes fala sobre a importância de permanecer dentro da verdadeira fé e adesão à Tradição.

“Que Deus vos conforte! … O que tanto vos entristece é que os inimigos ocuparam vossos templos pela violência, enquanto vós, em todo esse tempo, encontrais-vos fora.

É um fato que eles têm os edifícios, os templos, mas, por outro lado, vós tendes a fé apostólica. Eles conseguiram tirar-nos nossos templos, mas estão fora da verdadeira fé. Vós tendes que permanecer fora dos lugares de culto, mas permaneceis, contudo, dentro da fé.

Reflitamos: o que é mais importante, o lugar ou a fé? Evidentemente, a verdadeira fé. Nesta luta, quem perdeu, quem ganhou: aquele que guardou o lugar ou aquele que guardou a fé?

O lugar, é verdade, é bom, (mas) quando nele se prega a fé apostólica; é santo se tudo o que nele acontece e passa é santo.

Sois afortunados, porque permaneceis na Igreja por vossa fé, que chegou até vós através da Tradição Apostólica e se, sob pressão, um zelo execrável pretendeu quebrantar vossa fé, essa pressão não obteve êxito. São eles os que se separaram, na presente crise da Igreja.

Ninguém jamais prevalecerá contra vossa fé, caríssimos irmãos. E nós sabemos que um dia Deus nos devolverá nossos templos.

Assim, pois, quanto mais eles insistem em tirar nossos lugares de culto, mais eles se separam da Igreja. Eles pretendem representar a Igreja, quando, na realidade, expulsaram-se a si mesmos e se extraviaram.

Os católicos que permanecem leais à Tradição, ainda que reduzidos a um pequeno resto, são a verdadeira Igreja de Jesus Cristo”.

Santo Atanásio

*************************

SOBRE ESSE GRANDE SANTO, SEGUEM OUTROS DOIS TEXTOS:

SANTO ATANÁSIO: O VERDADEIRO DEFENSOR DA TRADIÇÃO – PARTE I

SANTO ATANÁSIO: O VERDADEIRO DEFENSOR DA TRADIÇÃO – PARTE II

FESTA DE SÃO JOSÉ OPERÁRIO (SÃO JOSÉ ARTESÃO)

Svatý Josef, patron Čech a ochránce při pokušeních | i60.czEm 1º de maio, a Igreja celebra a festa de São José Artesão, padroeiro dos trabalhadores, coincidindo com o Dia Mundial do Trabalho. Esta celebração litúrgica foi instituída em 1955 pelo Papa Pio XII, diante de um grupo de trabalhadores reunidos na Praça de São Pedro, no Vaticano.

Naquela ocasião, o Santo Padre pediu que “o humilde operário de Nazaré, além de encarnar diante de Deus e da Igreja a dignidade do trabalho manual, seja também o providente guardião de vocês e suas famílias”.

Pio XII desejou que o Santo Custódio da Sagrada Família, “seja para todos os trabalhadores do mundo, especial protetor diante de Deus e escudo para proteger e defender nas penalidades e nos riscos de trabalho”.

Nessa Festa de São José, seguem alguns textos para leitura:

 ******************************

Para acessar todos os posts publicados relacionados ao glorioso São José, clique aqui.

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – MAIO/24

11 ideias de Homens lendo | pinturas, arte, imagens de leitura

Caros fiéis,

O desejo de saber é, em si, uma coisa boa, mas pode ser viciado por más intenções, o que São Bernardo resume perfeitamente: “Há alguns que querem saber só por saber, e isso é uma curiosidade vergonhosa. E há outros que querem saber para serem chamados de eruditos, e isso é uma vaidade vergonhosa. Há outros que querem saber para vender seu conhecimento, para adquirir riqueza e honra, e isso é ganho vergonhoso; mas há também aqueles que aspiram saber para edificar, e isso é caridade. Finalmente, há aqueles que querem saber para edificar a si mesmos, e isso é prudência” (Sermão sobre o Cântico dos Cânticos, 36, 3). Portanto, precisamos saber para edificar e para edificar a nós mesmos. Após esse lembrete das boas disposições do aluno, precisamos nos lembrar das qualidades do professor.

15 padres da Fraternidade São Pio X para o Brasil não é muito. Isso lhes deixa pouco tempo para dar conferências de formação aos fiéis. Então, muitos recorrem à Internet. Isso não é isento de riscos. Na Internet, pode-se encontrar o melhor e o pior, e geralmente muita mediocridade.

Um dia, em uma confissão, alguém me confessou um pecado venial como sendo um pecado mortal. Eu lhe perguntei por quê. Resposta: “Alguém disse isso na Internet!” Cuidado: o simples fato de se expressar na Internet não confere um diploma em teologia, filosofia ou qualquer outra ciência. Portanto, é importante saber como selecionar suas fontes antes de se colocar, mais ou menos passivamente, na posição de ser ensinado por um professor que não se conhece. Vários pontos precisam ser verificados: competência, convicções e disposições. Aqui estão alguns exemplos. Esse professor de geografia, que é muito bom em sua matéria, é competente para dar aulas de inglês? Não necessariamente! Esse renomado professor de filosofia é ateu. É sensato entrar em sua escola? Não! Este professor é competente e católico, mas é orgulhoso e imprudente em seus julgamentos. Devemos segui-lo? Não! Continuar lendo

TRADIÇÃO, TRADIÇÃO CATÓLICA E FALSA TRADIÇÃO

Paolo Pasqualucci

Sumário:

1. A noção de tradição.

2. Tradição cristã e não “judaico-cristã”. 

3. Definição da Tradição católica.

4. A Tradição católica não contém nada de secreto, ela não é esotérica.

5. A noção esotérica da tradição é irracional e falsa.

5a. A inversão do significado da Cruz por René Guénon.

Em geral, todos consideram bem conhecido o sentido da palavra “tradição”. Nós, todavia, julgamos importante defini-lo corretamente. É o que faremos neste artigo.

  1. A noção de tradição.

Antes de tudo, a idéia de tradição compreende a de certos valores transmitidos e preservados ao longo de gerações. Transmitidos e preservados, ou seja, ensinados e apresentados como valores a se respeitar, visto que constituem o fundamento inalterável de uma determinada concepção de mundo e, conseqüentemente, do modo de viver de uma sociedade — compreendida globalmente enquanto povo. Com efeito, a tradição se materializa nos costumes. A idéia de tradição está, portanto, ligada à de valor e costume. Não há aqui lugar para uma definição subjetiva do que é o valor: o valor preservado pela Tradição é precisamente aquele que se impõe pelo fato de fundar essa mesma tradição e de pertencer-lhe, a despeito do que pensam os indivíduos, que devem reconhecê-la e obedecê-la.  Leia mais

Os valores expressos na tradição constituem a verdade da própria tradição. São compreendidos como dignos de pertencer à tradição porque são verdadeiros, porque se considera que nesses valores estão expressas verdades. Verdades de caráter religioso e moral, ou apenas religioso, ou apenas moral, ou moral e político, ou apenas político, ou enfim, provindo apenas dos costumes: uma verdade que é, seja o que for, objetiva, que pertence à coisa enquanto tal, independentemente do fluxo e refluxo de opiniões e acontecimentos.

A verdade que se compreende nos valores da tradição equivale à conformidade desses valores com a idéia de justiça: os valores da tradição são justos, esta é a sua verdade; e é justo observá-los e conservá-los.

A tradição é, portanto, um sistema coerente de princípios e comportamentos que constituem as normas, escritas ou não, das quais o indivíduo não pode se afastar no plano dos costumes ou das leis. Quando ligada a uma instituição ou a uma nação, a Tradição aparece com um componente épico: atos gloriosos e empresas memoráveis — batalhas, guerras. Continuar lendo

EIS QUE VOS DEIXO

Deus, ao fazer-se homem, veio para nos fornecer uma admirável soma de benefícios e tesouros. Os homens estão muito mais ricos desde que Cristo ressuscitou e ascendeu ao céu.

Fonte: La Porte Latine – Tradução: Dominus Est

A Encarnação do Filho de Deus consistiu em um depósito sagrado de formas variadas. Deus, ao tornar-se homem, veio nos dar uma soma admirável de benefícios e tesouros, de modo que os homens estão muito mais ricos desde que sua presença aqui na Terra findou com a Ascensão. Além disso, não será possível elencar perfeitamente nestas linhas todos os benefícios com os quais o Senhor Jesus nos agraciou antes de ascender ao Pai. Antes de entrar em alguns detalhes de sua vida em si, que nos é conhecida por meio da pregação dos apóstolos, e do que relataram os evangelistas, traz-nos um conhecimento maior de Deus que, nas palavras de São João “revelou-se por meio do Filho.”

Um legado vivo

“Deixo-vos a minha paz”

“Deixo-vos a minha paz”, disse Nosso Senhor aos Seus discípulos na Última Ceia. A humanidade havia perdido este tesouro de paz interior quando o pecado entrou no mundo. O Salvador veio para restaurar essa verdadeira paz, a paz do coração, a paz do homem com Deus. Consciente de nossa fragilidade, Jesus também deixa claro que não nos dá a paz “como o mundo a dá.” Ele não quer que as nossas almas se iludam e esqueçam o antagonismo que permanece, apesar da Redenção, apesar da sua morte pelos pecadores: por meio da sua morte Ele veio para mudar os corações, e o mundo (incluindo a sociedade) só mudará se as almas se beneficiarem dos frutos de sua morte. Jesus veio a este mundo “para resgatar o que estava perdido” e, como diz em Zaqueu, “a salvação entrou nesta casa” porque Ele levou a uma conversão do coração: o Salvador disse essas palavras somente depois que Zaqueu anunciou sua resolução de pagar suas dívidas e dar grandes somas de esmolas. Nosso Senhor, confrontado com contradições antes da sua Paixão, recorda as suas obras e exorta seus interlocutores a reconhecerem que “o Reino de Deus chegou” entre eles. Continuar lendo

COMEMORAÇÃO DOS 50 ANOS DAS IRMÃS DA FSSPX

No sábado, 13 de abril de 2024, Pe. David Pagliarani, Superior Geral da Fraternidade São Pio X, rezou uma Missa de Ação de Graças pelo cinquentenário da fundação das Irmãs da Fraternidade, no Seminário de Écone.

Quase todas as Irmãs estiveram presentes neste evento histórico.

 Mais sobre as Irmãs da FSSPX e a vocação religiosa feminina pode ser visto clicando aquiaquiaqui e aqui.

O SAGRADO CORAÇÃO, RESERVATÓRIO DE GRAÇAS

FUNDAMENTOS E PREFIGURAÇÕES DO CULTO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS NO ANTIGO  TESTAMENTO | DOMINUS EST

Haurietis aquas in gaudio de fontibus Salvatoris – “Tirareis com alegria águas das fontes do Salvador” (Is 12, 3)

Sumário. O Coração de Jesus é verdadeiramente o reservatório de todos os favores divinos. Podemos considerar quatro fontes no Coração de Jesus: a primeira de misericórdia; a segunda de paz e consolação; a terceira de devoção; e a quarta de amor. Aquele que vai haurir nestas felizes fontes que temos no Coração de Jesus terá sempre águas de alegria e de salvação. Se não recebeste, até agora, graças mais copiosas, é porque te descuidaste de vir tomá-las no Coração de Jesus.

**********************

Achamos no Coração de Jesus todos os bens e socorros que podemos desejar. Nele, diz São Paulo, sois ricos em toda a sorte de bens; de modo que não vos pode faltar graça alguma (1). Este Coração é, pois, verdadeiramente o reservatório de todos os favores divinos; deste Coração generoso é que correm esses rios inexauríveis de graças de que fala o profeta Isaías: Vos tirareis com alegria aguas das fontes do Salvador.

A primeira é uma fonte de misericórdia, na qual nos podemos purificar de todas as manchas dos nossos pecados. Esta fonte foi formada para nós com as lágrimas e o sangue do nosso divino Redentor. Dilexit nos, et lavit nos a peccatis nostris in sanguine suo — “Ele nos amou e lavou os nossos pecados com o seu sangue” (2) Eis ai até onde chegou o amor de Jesus para conosco. A segunda é uma fonte de paz e consolação nas nossas penas. Se alguém tem sede das verdadeiras consolações, ainda nesta vida, diz Jesus Cristo, venha ao meu Coração, e receberá o que deseja (3). Aquele que prova das águas do meu amor, desprezará para sempre as delícias passageiras do mundo, e será plenamente satisfeito, quando entrar na morada dos eleitos; porque a água da minha graça o fará subir da terra para o céu (4). A paz que o Senhor dá às almas de que Ele é amado, não é a alegria que o mundo promete nos prazeres sensuais, os quais deixam após si mais amargura do que felicidade; a paz que Deus dá, excede todos os prazeres dos sentidos (5). Bem-aventurados aqueles que tem sede dessa fonte divina (6). A terceira é uma fonte de devoção. Oh! Como se torna piedoso e pronto a obedecer a Deus, como se cresce sem cessar de virtudes em virtudes, quando se medita muitas vezes o que o Coração de Jesus fez por amor de nós. Aquele que segue esta prática, tornar-se-á semelhante a uma arvore plantada junto da corrente das águas (7). Continuar lendo

O BOM PASTOR – PALAVRAS DE D. LEFEBVRE

mgr-lefebvre-5Fonte: FSSPX – Distrito do México – Tradução: Dominus Est

 

Eis algumas palavras de Mons. Marcel Lefebvre, fundador da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, sobre o evangelho de hoje, domingo – Jesus, o Bom Pastor.

 

Nosso Senhor disse no Evangelho do Bom Pastor: “Tenho outras ovelhas que não são deste aprisco e é preciso que Eu as traga, e elas ouvirão a minha voz e haverá um só rebanho e um só pastor “(Jo. 10, 16).

 

Esta exortação é completamente contrária ao ecumenismo moderno. Nosso Senhor pede que tragamos as ovelhas. Ele não diz que devemos deixa-las no rebanho onde estão, mas que as conduzamos a Ele. É o que faz o bom padre. Vai buscar as ovelhas perdidas e desviadas no erro, pelo pecado, neste mundo de pecado e sob a influência do demônio; vai busca-las corajosa e zelosamente, imitando desta maneira, o Bom Pastor.

 

Há de ter um coração de pastor, que vai buscar suas ovelhas uma a uma. Continuar lendo

TOMADAS DE HÁBITO E PROFISSÕES RELIGIOSAS DAS IRMÃS DA FSSPX EM RUFFEC (FRANÇA) -2024

No domingo, 7 de abril de 2024, domingo in Albis ou domingo de Quasimodo, D. Alfonso de Galarreta celebrou uma Missa pontifical na igreja do convento de Saint-Martial, em Ruffec (FRA), durante a qual as Irmãs da Fraternindade São Pio X receberam o hábito e fizeram suas profissões religiosas.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

O convento de Saint-Martial, localizado em Ruffec-le-Château, no Indre, é atualmente a sede do noviciado de língua francesa das Irmãs da Fraternidade São Pio X.

O objetivo da Congregação das Irmãs da FSSPX é apoiar o apostolado dos padres da Fraternindade. Seus dois fundadores, Mons. Marcel Lefebvre e Madre Marie-Gabriel Lefebvre, sua irmã, eram membros da Congregação Missionária do Espírito Santo.

Religiosas, consagram-se a Deus através dos três votos de pobreza, castidade e obediência após dois anos e meio de formação em um dos quatro noviciados (locais de formação de freiras) estabelecidos na França, Alemanha, Estados Unidos e Argentina.

Em 2024, a Congregação das Irmãs da Fraternidade São Pio X terá 209 freiras professas em 30 comunidades espalhadas por 10 países: França, Bélgica, Suíça, Alemanha, Itália, Estados Unidos, Argentina, Gabão, República Dominicana e Austrália.

Durante a cerimônia, cinco postulantes receberam o hábito religioso e ingressaram no noviciado propriamente dito após os seis meses de postulado. Três noviças, depois de concluída a sua formação, emitiram os primeiros votos religiosos. Finalmente, cinco professas emitiram os votos perpétuos.

Apenas uma parte, do grande número de fiéis presentes, conseguiu ser acomodado na igreja, mas um telão instalado no pátio facilitou a visualização da cerimônia pelos demais.

As Irmãs da Fraternidade São Pio X comemoram seu 50º aniversário

Foi em setembro de 1974 que a primeira Irmã ingressou na nascente Sociedade religiosa. No próximo sábado, 13 de abril, a Congregação celebrará seu 50º aniversário no Seminário São Pio X em Ecône, no Valais, Suíça, berço da Fraternidade, na igreja dedicada ao Imaculado Coração de Maria. Todas as freiras devem se reunir para esse jubileu.

Será uma oportunidade para dar graças a Deus e à Providência pelo desenvolvimento deste ramo religioso. Também será uma oportunidade de visitar o túmulo do fundador, Mons. Marcel Lefebvre, que agora repousa na cripta da igreja do seminário.

As religiosas santificam-se e rezam pelas almas: rezemos por elas, especialmente nesta ocasião.

Mais sobre as Irmãs da FSSPX e a vocação religiosa feminina pode ser visto clicando aquiaquiaqui e aqui.

SERMÃO DE D. LEFEBVRE PARA A PÁSCOA – 11 DE ABRIL DE 1982

Clique na imagem acima para ouvir o Sermão

Caríssimos amigos,

Caríssimos irmãos,

Cristo Ressuscitou. Nós cremo-lo de toda nossa alma e todo nosso coração. E como dizia o padre ontem, ao dispor os grãos de incenso em forma de Cruz sobre o Círio pascal, repetimos hoje, com ele:

Christus heri et hodie: Cristo ontem e hoje.

Principium et finis alpha et oméga: Jesus Cristo é o Princípio e o fim de todas as coisas.

Ipsius sunt tempora et scæula: A Ele todo os tempos e todos os séculos.

Ipsius sunt gloria et imperium per omnia sæcula: A Ele a glória e o poder pelos séculos dos séculos.

Gloriosa vulnera custodiant nos: Que suas chagas gloriosas nos conservem na fé.

Sabeis, meus caríssimos irmãos, infelizmente, existe hoje, entre os católicos, um grande número que hesita sobre a realidade da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Nosso Senhor não teria reavido seu Corpo. Esse Corpo que ele recebeu da Virgem Maria. Mas teria retomado um corpo espiritual, e não aquele que foi crucificado sobre a Cruz. Ora, Nosso Senhor mesmo quis, para combater esses erros, que houvesse, entre os apóstolos, um incrédulo, São Tomé, que não quis acreditar na realidade da Ressurreição de Nosso Senhor. E, então, Nosso Senhor se apresentou em pessoa, quando Tomé estava presente. Ele lhe disse: “Tomé, vejas, coloques teus dedos em minhas feridas”. Continuar lendo