BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – DEZEMBRO/22

ant

De acordo com alguns relatos, certos Padres impedem que seus fiéis se ajoelhem durante o cânon da Missa. O pretexto invocado: “Cristo ressuscitou”. Não se entende por que a realidade da Ressurreição deveria impedir a adoração eucarística. A menos que não se tenha mais fé na Presença Real.

A genuflexão, seja de um ou dois joelhos, acompanhada ou não da inclinação da cabeça ou do corpo, seja ela anterior à prostração parcial ou total, é um sinal de adoração que tem sido onipresente através dos séculos, civilizações e religiões em geral. Genufletir diante do Santíssimo Sacramento é uma confissão inequívoca de nossa fé na presença de Cristo nas Espécies Eucarísticas.

Recordemos o famoso milagre de Santo Antônio de Pádua. Um herege que se recusou a acreditar na presença de Jesus na Eucaristia lhe ofereceu o seguinte desafio: Depois de fazer jejuar sua mula por três dias, ele lhe apresentaria uma pilha de forragem de um lado e o Padre franciscano apresentaria a Hóstia do outro lado. No dia, na praça principal da cidade, uma grande multidão pôde ver a mula afastar-se da comida desejada e ir prostrar-se diante do Santíssimo Sacramento. E o herege se converteu.

Não esqueçamos que a atitude do povo nas igrejas é uma pregação silenciosa que ensina o visitante antes mesmo de ele ter aberto um catecismo. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – NOVEMBRO/22

Plik:Cristo crucificado (Murillo).jpg – Wikipedia, wolna encyklopedia

Stat crux dum volvitur orbis” A cruz permanece enquanto o mundo gira.

É uma realidade intangível que o mundo está passando e chegando ao seu fim. Ele não recebeu, como a Igreja, as promessas de vida eterna. No entanto, seus apoiadores não querem acreditar nisso e continuam distorcendo a realidade. Tanta energia é gasta para provar a suposta obsolescência de uma Igreja amontoada em torno de uma doutrina poeirenta e de uma moralidade inadequada. Ao mesmo tempo, cobrem de elogio à utopia chamada modernidade e aos homens que a servem. “Se acabou o tempo das catedrais”. Este é o grito apóstata de nosso tempo. Infelizmente, muitas pessoas sucumbem ao canto fatal das sereias. Intoxicadas pela euforia coletiva, elas embarcam no navio do século. Elas se imaginam atualizadas e, no entanto, sua atitude é uma mera repetição modernizada dos fatos históricos.

Lembrem-se, foi há 110 anos, em abril de 1912. Não é ontem, pode-se dizer. Sim, mas naquela época, o que é para nós o passado era o presente. No ponte do Titanic, todos sentiam o gênio humano, o auge da modernidade. Este sonho orgulhoso, que “nem mesmo Deus poderia afundar”, sucumbiu em poucas horas. Foi engolido como os detratores de Noé em seu tempo. Vamos escolher bem nosso navio. Somente o barco da Igreja sobrevive. Os outros estão afundando e levando os passageiros do mundo com eles. Que não haja engano, a Igreja com seus ensinamentos, seus mandamentos e seus sacramentos permanece atual. Ela estará sempre. Os males que acompanham sua ausência são prova suficiente de sua necessidade. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – OUTUBRO/22

nuno

Caríssimos fiéis,

Este mês de outubro de 2022 é um mês de eleições em nosso país. Presidente, governadores… Alguns mudarão, outros serão mantidos, novas personalidades aparecerão. Devemos ser indiferentes a esses movimentos políticos? Quaisquer que sejam seus poderes reais, todos os eleitos são líderes em graus diversos. Como tais, eles orientam a sociedade ao seu fim. “O corpo tira alimento e coesão da cabeça” (Col. 2,18-19).

Primeiramente, a existência do líder é uma necessidade. Uma sociedade sem um líder seria como um corpo sem uma cabeça. Ela não poderia existir. A autoridade é um elemento constitutivo de qualquer sociedade. Este é um dos maiores problemas da tese do sedevacantismo na Igreja. Dizer que o Papa não é Papa é dizer que a Igreja é uma sociedade sem cabeça. A negação da autoridade leva ao colapso. A prova está nas milhares de seitas protestantes. Os sedevacantistas não são uma exceção a esta dissolução. Como uma espécie de “protestantismo católico”, o sedevacantismo não pode subsistir em nenhuma outra forma que a de múltiplos agrupamentos autocéfalos.

Em segundo lugar, a existência do líder garante a permanência da sociedade. Esta existência é tão fundamental que mesmo a maldade do líder não é suficiente para torná-lo ilegítimo, nem justifica a desobediência a ele. “Servos, sede submissos a vossos senhores com todo o temor; não somente aos bons e humanos, mas também aos difíceis” (I Pd 2,18-23). A sabedoria do rei Salomão resume a situação: “Onde não há governante, o povo é corrompido” (Pr 11,14). Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – SETEMBRO/22

A atitude pessoal de São Pio X para com os modernistas. – Fratres In UnumCaríssimos fiéis,

Dom Lefebvre inscreveu voluntariamente o apostolado de nossa Fraternidade no espírito de São Pio X, pois o escolheu como seu santo padroeiro. Portanto, contemplando a vida de São Pio X, entenderemos melhor o que nosso fundador queria para nós.

I. São Pio X como reformador

Seu pontificado foi relativamente curto, de 1903 a 1914, mas foi impulsionado por uma vontade enérgica. As muitas reformas realizadas pelo Papa são testemunho disso: reforma da música sacra, reforma da Cúria, reforma do Código de Direito Canônico, reforma do catecismo, introdução da comunhão frequente e das crianças, etc. Em todas estas áreas, São Pio X realizou uma autêntica reforma, ou seja, uma recentralização. Ele mesmo expressou bem este espírito: “Omnia instaure in Christo”. “Restaurar tudo em Cristo”.

 Assim, São Pio X foi um papa reformador, o que não significa um papa inovador, mas um papa restaurador. Por suas iniciativas, ele puxou o tapete dos modernistas, falsos reformadores, que não procuraram recentralizar-se no essencial, mas modificar os fundamentos. Assim, São Pio X estabeleceu os princípios de uma verdadeira renovação. Como restaurador, Dom Lefebvre só tinha que apoiar-se sobre o trabalho do santo Papa. É por isso que ele o escolheu como patrono. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – AGOSTO/22

ORDE

Caríssimos fiéis,

Garantir o nosso sustento é a principal ocupação das nossas vidas. E, em tempos de fome, esta busca torna-se uma verdadeira obsessão. Isto deveria ser igualmente verdadeiro em relação ao nosso sustento espiritual. No Evangelho do 8º domingo depois de Pentecostes, Nosso Senhor nos reprovou por sermos mais frequentemente filhos deste mundo, bem versados em assuntos terrenos, do que filhos da luz, preocupados com a própria salvação. Santo Agostinho disse sobre esta questão da salvação: “Quem a conhece sabe tudo; quem não a conhece sabe nada, mesmo que saiba todo o demais”.

Sim, estamos preocupados com o aquecimento global experimentado por todo o planeta. Infelizmente, este aquecimento não se deve às chamas da caridade, mas sim às do inferno. Milhões de almas estão morrendo de sede, longe das fontes salvíficas dos sacramentos. E não há ninguém para matar a sua sede. Os bombeiros de almas são menos numerosos do que a extensão dos incêndios.

Para todo cristão que está consciente do único necessário, nossa salvação, o despertar das vocações e a perseverança dos padres continuam sendo uma prioridade na vida. Os sacerdotes e os fiéis precisam do padre. Uma bela oração do Cardeal George Mundelein, Arcebispo de Chicago, que morreu em 1939, mostra esta dependência espiritual desejada por Nosso Senhor no plano da redenção. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – JULHO/22

O que é o Preciosíssimo Sangue?

Caríssimos fiéis,

No calendário litúrgico tradicional, o mês de julho começa com a Festa do Preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ela segue de perto a Festa do Santíssimo Sacramento, celebrada na quinta-feira seguinte à Santíssima Trindade. No calendário litúrgico moderno, a festa do Preciosíssimo Sangue desapareceu. Pensou-se que ela duplicava a festa do Santíssimo Sacramento e que não era necessário mantê-la. A festa do Santíssimo Sacramento foi chamada “do Corpo e Sangue de Cristo”.

É verdade que todo o Cristo está presente na Santa Hóstia; com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade.

Também é verdade que a festa do Preciosíssimo Sangue é relativamente recente, pois foi instituída pelo Papa Pio IX em 1849 para agradecer a Deus por sua vitória sobre a revolução italiana que o havia expulsado de Roma. Inicialmente marcado para o primeiro domingo de julho, passou a ser comemorado no primeiro de julho desde a reforma de São Pio X.

Tudo isto significa que esta festa não é tão importante?

Na Santa Missa, há uma dupla consagração: a do Corpo e a do Sangue. No entanto, o Sangue está contido no Corpo. Só a consagração do Corpo seria suficiente. Ao manter a dupla consagração em sua liturgia, a Igreja deseja manifestar o caráter sacrificial da Missa. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – JUNHO/22

Solenidade da Santíssima Trindade - Vatican News

Caríssimos fiéis,

O mistério da Santíssima Trindade é o mistério próprio do cristianismo. “Ide, ensinai todas as nações, batizai-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo . Tal é a instrução imperativa do Senhor.

Fomos batizados em nome da Santíssima Trindade, como Nosso Senhor nos ordenou. Sentados no colo de nossa mãe, aprendemos a fazer o gesto do sinal da cruz, em nome das três pessoas divinas.

A Trindade é o maior mistério do cristianismo. Para alcançá-lo, devemos elevar-nos acima do mundo material, acima do mundo dos homens, acima do mundo dos espíritos angélicos; devemos penetrar além do tempo, nas regiões insondáveis da eternidade, onde habita a Santíssima Trindade: o Pai eterno, o Filho gerado desde toda a eternidade pelo Pai, o Espírito Santo que procede do Pai e do Filho, eterno como o Pai e o Filho – ou seja, um único Deus, uma única natureza divina em três pessoas distintas, mas iguais em todas as coisas.

Por que Deus nos revelou este mistério? Um mistério que, de qualquer forma, é incompreensível para nós, inacessível pela nossa inteligência? Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – MAIO/22

NSEN

Caríssimos fiéis,

Após um intervalo de dois anos, este mês poderemos retomar a Peregrinação anual a Aparecida.

Ao contrário da afirmação de uma certa feminista para quem o papel da mulher foi “desprezado, ignorado ou minimizado em todas as religiões”¹ , a Virgem Maria ocupa um lugar acima de todos os homens na terra e durante séculos Ela tem sido a mulher mais popular do planeta. O mês de maio é dedicado a Ela. Vamos nos perguntar o porquê.

Antes de mais nada, deve-se ressaltar que a dedicação de um mês a uma devoção particular é uma forma relativamente recente de piedade popular, que geralmente não era usada até o século XVIII. Assim, dez grandes festas do calendário litúrgico deram uma tonalidade particular a todos os dias do mês em questão, exceto fevereiro e abril: janeiro é o mês do Santo Nome de Jesus desde 1902; março, o mês de São José, desde 1855; junho, o mês do Sagrado Coração desde 1873; julho, o mês do Preciosíssimo Sangue desde 1850; agosto, o mês do Imaculado Coração de Maria; setembro, o mês de Nossa Senhora das Dores desde 1857; outubro, o mês do Rosário desde 1868; novembro, o mês das Almas no Purgatório desde 1888; dezembro, o mês da Imaculada Conceição.

Maio, o mês de Maria, é o mais antigo e mais conhecido dos meses consagrados. Ele surgiu no século XVII como uma reação contra o Jansenismo. Nasceu em Roma, donde se estendeu aos Estados Pontifícios, depois ao resto da Itália e finalmente a todo o catolicismo. Continuar lendo

MOTU PROPRIO TRADITIONIS CUSTODES, PELO PE. JEAN-FRANÇOIS MOUROUX, FSSPX, PRIOR DO PRIORADO DE SÃO PAULO

http://www.catolicosribeiraopreto.com/wp-content/uploads/2019/11/jean.png

Sermão do X Domingo depois de Pentecostes proferido na Capela São Pio X, do Priorado Padre Anchieta, com publicação autorizada para o blog Dominus Est

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Caros fiéis,

Em 16 de julho, foi lançado um novo grande ataque contra a Tradição Católica: o Motu Proprio Traditionis Custodes do Papa Francisco, que reduz ao máximo a celebração da Missa Tridentina. Para a Fraternidade São Pio X (FSSPX), estas disposições não mudarão nada, exceto para lhes trazer mais fiéis. Mas é importante saber por que isto não mudará nada para nós. Também devemos entender a diferença entre a FSSPX e as chamadas comunidades “Ecclesia Dei” para as quais tudo vai mudar.

Voltemos à origem desta ruptura na luta pela defesa da Tradição católica. Em 1988, Dom Marcel Lefebvre consagrou quatro bispos sem a autorização de Roma. Para ele, era uma questão de sobrevivência. Após vários anos de negociações com Roma para tentar explicar os problemas colocados pela nova doutrina do Vaticano II, a nova liturgia, os novos sacramentos, a nova lei canônica, após os repetidos escândalos, incluindo a famosa reunião ecumênica em Assis, Dom Lefebvre estava convencido de que a hierarquia da Igreja não queria “apoiar ou continuar a Tradição“. E hoje o Papa Francisco lhe dá razão, pois deixa claro que as concessões feitas à liturgia tradicional foram feitas com o objetivo de trazer aos poucos os sacerdotes e os fiéis à nova liturgia. Então, consequentemente, Dom Lefebvre decidiu salvar a Tradição, consagrando bispos.

Infelizmente, alguns sacerdotes da Fraternidade São Pio X, naquela época não quiseram seguir Dom Lefebvre no que foi chamado de seu “cisma“. Para eles, Roma criou uma estrutura chamada Comissão Ecclesia Dei, cujo nome vem do texto que a estabeleceu. Esta estrutura reuniu gradualmente todos os Institutos que desejavam preservar a Missa tradicional sendo eles reconhecidos por Roma. Estes incluíam a Fraternidade São Pedro e o Instituto do Bom Pastor. “Não podemos desobedecer ao Papa“, disseram eles. “Temos que ficar dentro da Igreja para promover a Tradição.”

Mas para Dom Lefebvre, não se tratava de sair da Igreja, mas justamente de permanecer nela. Não foi ele quem mudou, mas as autoridades da Igreja que mudaram.

Em uma conferência em 21 de dezembro de 1984, ele disse: “Não podemos nos colocar sob uma autoridade cujas ideias são liberais e que nos condenaria pouco a pouco, pela força das circunstâncias, a aceitar suas ideias e suas consequências, antes de mais nada, a Nova Missa.”

Em uma conferência em dezembro de 1989 (um ano depois das sagrações episcopais), Dom Lefebvre voltou a falar da situação daqueles que preferiam se submeter a Roma: “Eles se encontrarão rapidamente em uma contradição, pois se aceitarem o Concilio, terão que aceitar suas consequências. E as consequências incluem a reforma litúrgica.”

Então, a atitude do arcebispo Lefebvre pode ser explicada por dois princípios: Continuar lendo

CRISMAS 2021 EM SÃO PAULO

Caros Fiéis,

Sua Excelência Dom Bernard Fellay visitará o Brasil em agosto-setembro. Ele deverá administrar o sacramento da Crisma em São Paulo no sábado, 4 de setembro de 2021. 

Aqueles que desejarem receber este sacramento deverão preencher as seguintes condições:

  • frequentar uma capela da Fraternidade São Pio X por ao menos seis meses
  • entregar ao Padre encarregado de sua capela:

– a certidão de Batismo da pessoa que receberá a Crisma

– o documento de identidade (RG) da pessoa que receberá a Crisma

– a certidão da Crisma do padrinho / madrinha

– o formulário “Pedido de Crisma” preenchido (este documento está disponível no site www.fsspx.com.br)

  • assistir aos cursos de formação que serão agendados posteriormente

As inscrições serão encerradas em 15 de junho. 

Alguns detalhes para ajudar a preencher o formulário “Pedido de Crisma”, disponível ao final desta página:

Certidão de Batismo:

Aqueles que foram batizados em uma das capelas do Priorado Padre Anchieta de São Paulo, não precisam fornecer a certidão de Batismo. 

Padrinho / Madrinha:

Cada pessoa que recebe o sacramento da Crisma deve ter um padrinho ou madrinha. As condições para assumir esta responsabilidade são as seguintes: 

– ser do mesmo sexo do confirmando, 

– não ser o padrinho/madrinha do Batismo, 

– ter pelo menos 16 anos de idade, 

– ser batizado e crismado, 

– ter uma vida em conformidade com a moral católica, 

– não estar sob sentença canônica, 

– não ser membro de uma seita herética ou cismática, 

– não ser pai, mãe ou cônjuge do confirmando.

Os padrinhos que foram crismados em uma capela dependente do Priorado Padre Anchieta de São Paulo não precisam fornecer a certidão de Crisma.

Nome de Crisma:

É costume escolher um nome específico adicional para Crisma, mas não é obrigatório. É possível manter o nome de Batismo.

Crisma sub conditione (sob condição): 

Se uma pessoa que já recebeu a Crisma tem alguma dúvida ou certeza sobre a invalidade deste sacramento, ela pode recebê-lo novamente sob condição. 

Neste caso, é possível escolher outro padrinho.

Qualquer dúvida, escrive para: contato@fsspx.com.br

Obrigado por cumprir com todas estas indicações.

Estejam certos das orações e dedicação dos Padres.

Padre Jean-François Mouroux, FSSPX

Prior

Ficha de inscrição

Clique no botão abaixo para abrir a ficha de inscrição. Você deve imprimi-la, preenchê-la completamente e entregá-la, juntamente com todos os documentos pedidos, ao Padre encarregado de sua capela ou a um Padre no Priorado Padre Anchieta.

Clique aqui para acessar a ficha de inscrição