BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – MAIO/24

11 ideias de Homens lendo | pinturas, arte, imagens de leitura

Caros fiéis,

O desejo de saber é, em si, uma coisa boa, mas pode ser viciado por más intenções, o que São Bernardo resume perfeitamente: “Há alguns que querem saber só por saber, e isso é uma curiosidade vergonhosa. E há outros que querem saber para serem chamados de eruditos, e isso é uma vaidade vergonhosa. Há outros que querem saber para vender seu conhecimento, para adquirir riqueza e honra, e isso é ganho vergonhoso; mas há também aqueles que aspiram saber para edificar, e isso é caridade. Finalmente, há aqueles que querem saber para edificar a si mesmos, e isso é prudência” (Sermão sobre o Cântico dos Cânticos, 36, 3). Portanto, precisamos saber para edificar e para edificar a nós mesmos. Após esse lembrete das boas disposições do aluno, precisamos nos lembrar das qualidades do professor.

15 padres da Fraternidade São Pio X para o Brasil não é muito. Isso lhes deixa pouco tempo para dar conferências de formação aos fiéis. Então, muitos recorrem à Internet. Isso não é isento de riscos. Na Internet, pode-se encontrar o melhor e o pior, e geralmente muita mediocridade.

Um dia, em uma confissão, alguém me confessou um pecado venial como sendo um pecado mortal. Eu lhe perguntei por quê. Resposta: “Alguém disse isso na Internet!” Cuidado: o simples fato de se expressar na Internet não confere um diploma em teologia, filosofia ou qualquer outra ciência. Portanto, é importante saber como selecionar suas fontes antes de se colocar, mais ou menos passivamente, na posição de ser ensinado por um professor que não se conhece. Vários pontos precisam ser verificados: competência, convicções e disposições. Aqui estão alguns exemplos. Esse professor de geografia, que é muito bom em sua matéria, é competente para dar aulas de inglês? Não necessariamente! Esse renomado professor de filosofia é ateu. É sensato entrar em sua escola? Não! Este professor é competente e católico, mas é orgulhoso e imprudente em seus julgamentos. Devemos segui-lo? Não! Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – ABRIL/24

História da Fraternidade Sacerdotal São Pio X | Tradição Católica em  Vitória-ES

Caros fiéis,

Desde o final do ano passado, os bispos de São Paulo e de outras dioceses brasileiras continuam restringindo ou abolindo a celebração da Missa Tridentina. Um efeito imediato para a Fraternidade São Pio X é um aumento no número de fiéis. Isso é bom?

Parece que sim. Desde as consagrações de 1988, uma verdadeira operação para a sobrevivência da Tradição realizada pelo Dom Marcel Lefebvre, a Fraternidade fundada por ele nunca deixou de responder às necessidades dos fiéis que carecem de um apostolado verdadeiramente católico. A crise cada vez mais profunda destaca a clarividência desse bispo corajoso e a solidez de sua congregação.

Sim, de um ponto de vista prático. Maiores recursos possibilitam a realização de projetos mais importantes. Por exemplo, podemos alugar o salão da Casa de Portugal para a Semana Santa, para as Crismas e, neste ano, para o MJCB.

Aproveitamos esta oportunidade para responder a alguns questionamentos.

Padre, as pessoas não vêm à Fraternidade porque não há espaço suficiente na capela!” Se essas pessoas estivessem realmente convencidas da conveniência do apostolado da Fraternidade, elas ajudariam a levantar o dinheiro necessário para que o priorado comprasse ou alugasse um terreno ou um prédio para construir uma igreja grande. Os protestantes conseguem isso, por que não os católicos tradicionais? Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – MARÇO/24

1905 é um ano bem conhecido na FSSPX, por ser o ano do nascimento de seu fundador, Dom Marcel Lefebvre, que ocorreu em 29 de novembro. Quase dois meses antes, em 23 de setembro, um santo padre brasileiro morreu aos 78 anos de idade, exausto por 54 anos de dedicação apostólica.

Quando nasceu, aos 12 de abril de 1827, em Campanha (Estado de Minas Gerais), nada parecia destiná-lo ao sacerdócio: era filho natural de uma escrava! No entanto, isso não era obstáculo à fé e a tenacidade de sua dona, que também era sua madrinha de batismo: Dona Marianna Bárbara Ferreira. Ao perceber os talentos de seu escravo Francisco, ela o alfabetizou e o empregou como aprendiz numa alfaiataria, onde permaneceu por três anos. Seu aprendizado teve um fim trágico. Francisco, tendo confessado candidamente o seu desejo de se tornar sacerdote, foi ridicularizado publicamente por seu patrão, que o expulsou.

Dona Marianna não ficou impressionada e confiou a formação de Francisco a um vigário da paróquia. Determinada a apoiar a vocação de seu protegido, ela recebeu uma ajuda essencial: a de Dom Antônio Ferreira Viçoso (1787-1875), o novo bispo da diocese de Mariana, um português totalmente integrado à vida e às instituições brasileiras, que se compadecia dos escravos, e respeitado por todos por suas eminentes qualidades. Sob sua proteção paterna, Francisco de Paula Victor ingressou no seminário de Mariana, onde sofreu os dissabores de seus confrades. Eles mudaram gradualmente de atitude, percebendo que a pele negra não era de modo algum um obstáculo para as virtudes mais elevadas. Para que ele pudesse ser ordenado, Dona Marianna lhe concedeu a liberdade e as terras necessárias para constituir seu patrimônio eclesiástico. Finalmente, o seminarista Victor foi ordenado sacerdote por Dom Viçoso em 14 de junho de 1851. Muitos fiéis se recusaram a beijar as mãos do jovem padre. Em suas primeiras missas quase ninguém foi comungar. No entanto, ele foi recebido com triunfo em sua cidade natal, e seu antigo patrão veio lhe pedir perdão. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – FEVEREIRO/24

Editora Permanência - Pré-Venda Missal Quotidiano Latim-Português.

Alguns anos atrás, um jovem estava caminhando pela rua que desce à capela São Pio X, em São Paulo. Era noite. Três homens o pararam, um deles armado. O jovem entregou todos os seus pertences: dinheiro, celular, mochila, etc, mas pediu para ficar com um objeto em particular. “O que é isso?”, perguntou o ladrão. “Meu missal!” “Para onde você está indo?” “Para a Missa do Galo”. Então, o ladrão lhe devolveu tudo e eles se cumprimentaram com um abraço, desejando um feliz Natal um ao outro.

Caros fiéis, seu missal pode salvá-lo de ladrões.

Mas essa não é sua principal utilidade.

A Sagrada Escritura, na primeira epístola de São Pedro (1 Pe 2,5 e 9-10) e no Apocalipse (Ap 5, 9-10), fala de um sacerdócio comum a todos os membros da Igreja. Os Padres da Igreja se expressam da mesma forma. Na encíclica Mediator Dei, Pio XII diz que, na liturgia, os fiéis oferecem o sacrifício da Missa com o celebrante.

Deve-se ressaltar que a Sagrada Escritura fala de um sacerdócio dos fiéis em um sentido metafórico. Além disso, a Mediator Dei nunca usa a expressão “sacerdócio” para significar essa atividade dos fiéis e evita se referir aos simplesmente batizados como “sacerdotes”. Pio XII disse mais tarde que, embora possamos falar de um certo “sacerdócio” dos fiéis, essa expressão é equivalente a um título meramente honorífico e que há uma diferença essencial entre a realidade desse sacerdócio íntimo e secreto (espiritual) e o sacerdócio verdadeiramente e propriamente dito. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – JANEIRO/24

30 ANOS DEPOIS: O SERMÃO DAS SAGRAÇÕES EPISCOPAIS DO ARCEBISPO LEFEBVRE |  DOMINUS EST

Caros Fiéis,

Por que a Fraternidade São Pio X está demorando tanto para decidir consagrar bispos? Dom Fellay tem 65 anos, Dom Galarreta tem 66 anos e Dom Tissier de Mallerais tem 78 anos. Eles estão enfrentando um apostolado exaustivo que consiste em várias viagens ao redor do mundo. De fato, para deixar claro que não tinha nenhuma intenção cismática, o Arcebispo Dom Marcel Lefebvre, nas consagrações de 1988, não quis designar um território específico aos bispos destinados a continuar sua obra. De fato, a jurisdição territorial depende do Papa. Dom Lefebvre realizou uma “operação de sobrevivência”, para dar à Fraternidade os meios de oferecer o apostolado tradicional na Igreja. É por isso que nossos bispos nunca param de viajar, respondendo às necessidades dos fiéis que buscam espontaneamente o apostolado da Fraternidade, que continua crescendo sem parar. Não sabemos se devemos nos alegrar com isso, pois se trata da consequência do declínio geral da Igreja. Seja como for, alguns bispos a mais não parece ser excessivo. Então, por que não os consagrar, e rapidamente?

Assueta vilescunt; que podemos traduzir como: as coisas, quando se tornam rotineiras, aviltam-se.

As consagrações de 1988, sem mandato   papal, foram uma medida excepcional ditada pelas circunstâncias. A exceção não pode se tornar regra, caso contrário, ela perderia as razões que a justificam. As futuras consagrações receberão autorização romana? Ninguém sabe. Aconteça o que acontecer, uma cerimônia de consagração pela Fraternidade no contexto atual da Igreja é um evento suficientemente importante para não ser considerado de modo leviano. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – DEZEMBRO/23

Aborto: o que é, fatores de risco, tipos - Biologia Net

Já há séculos que duas cidades entraram em conflito: a cidade de Deus e a cidade de Satanás; a cidade do Bem e a cidade do Mal; uma é a cidade da vida, a outra é a da morte. A luta é terrível, mas sabemos que a cidade de Deus triunfará no final. Nesse meio tempo, vitórias e derrotas se alternam em ambos os lados. E nossa época vive sob o jugo dos inimigos de Deus. Quando recua o reino de Deus, também recua o reino da caridade; ambos são idênticos. O reinado da força bruta está se impondo, e não é bom ser fraco. A cultura da morte que está se espalhando ataca os mais fracos. As crianças, os doentes e os idosos sempre foram objeto da proteção maternal da Igreja. Sem ela, eles estão abandonados aos carrascos. O aborto e a eutanásia são os dogmas do mundo sem Deus. Eles deixam pouca chance de sobrevivência.

Em um artigo de setembro, a Anistia Internacional (uma ONG que promove a defesa dos ditos direitos humanos e faz campanha especificamente para a abolição de todas as leis contra o aborto) publicou a seguinte manchete: “O Brasil pode ser o próximo país a dar um passo à frente na garantia do direito ao aborto”. Na cidade de Satanás, a morte é um progresso e o aborto é um direito; aqueles que se opõem a ele são “atores anti-direitos”. Para os discípulos do Príncipe das Trevas, os direitos humanos tomam o lugar dos direitos de Deus. Para nós, prevalece a lei de Deus: “Não matarás”. Esse preceito se aplica naturalmente aos inocentes. Deus nunca proibiu a autodefesa, seja ela pessoal ou pública (guerra e pena de morte). O essencial é exercê-la com justiça e prudência. O inocente pode até ser sacrificado indiretamente. Um piloto de guerra pode destruir uma ponte mesmo que haja pessoas inocentes nela. Uma mulher grávida pode salvar sua vida tomando um medicamento que terá o efeito colateral de matar seu filho. Esses casos específicos são autorizados somente se o efeito principal for bom, se o efeito ruim for secundário e indireto, e não for a intenção principal da pessoa que o causou. Por outro lado, matar diretamente uma pessoa inocente é sempre gravemente ilícito. Por exemplo, não se pode matar diretamente uma criança para salvar sua mãe. Se pode optar por salvar um ou outro. Nenhum dos dois pode ser morto diretamente. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – NOVEMBRO/23

– Padre, no boletim de outubro, o seu artigo explicou por que os brinquedos infantis com imagens de santos não devem ser usados. Agora, há outra questão que me preocupa: meu filho mais velho, seus irmãos e irmãs brincam de Missa. Eles deveriam ser proibidos?

– Essa é uma boa pergunta! A Missa não é uma brincadeira e parece que não se deva permitir que as crianças a tratem como tal. Entretanto, a resposta não é tão simples. Ao longo dos séculos da história da Igreja, milhares de crianças, mesmo entre os santos, “brincaram de Missa”. Para as crianças, algumas brincadeiras são sérias e fazem parte do processo de aprendizado. Além disso, as crianças aprendem muito por imitação. Em vez de “brincar de Missa”, a expressão “reproduzir a Missa” seria mais precisa. Nesse contexto, não parece errado que as crianças reproduzam a Missa à sua própria maneira. O importante é que essa atividade seja respeitosa e diferente das outras brincadeiras. Se um menino joga futebol com sua casula ou chicoteia sua irmãzinha com o cíngulo, obviamente, isso é uma falta de respeito, que deve ser punida. Da mesma forma, a encenação da Missa não deve se transformar em uma brincadeira ou desordem geral: há uma diferença entre o desrespeito e a ingenuidade dos gestos e palavras das crianças. As crianças fazem o melhor que podem, de acordo com suas habilidades. O resultado geral deve ser o crescimento da piedade e da estima pela verdadeira Missa da qual participam todos os domingos. Somente dessa forma é permitido “brincar de Missa”.

Esse interesse pela Missa poderia ser um sinal de uma futura vocação. Os pais devem respeitar esses bons interesses em seus filhos, mas não exagerá-los! Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – OUTUBRO/23

Dia de Nossa Senhora Aparecida: conheça a história da Padroeira do Brasil

Caríssimos fiéis,

Uma criança mal-criada pode tomar água benta e jogá-la em sua irmãzinha. Uma mãe irritada pode usar seu livro de orações para bater em seu filho. Um homem orgulhoso pode dar esmolas para chamar a atenção. Esses exemplos nos mostram que não basta que uma realidade seja boa para que seu uso seja igualmente bom. É por isso, por exemplo, que nossa mãe, a santa Igreja, se esforça, por meio de seus ministros, para nos dar as disposições devidas para receber os sacramentos. Os sacramentos são bons em si mesmos, mas podem ser mal utilizados.

Se, por um lado, quanto se trata dos sacramentos, as disposições devidas são bem conhecidas; por outro lado, quando se trata dos sacramentais ou das várias devoções, elas são muito menos conhecidas.

Antes de mais nada, precisamos distinguir entre o essencial, que é obrigatório, e o acidental ou não essencial, que é opcional. Como sempre, uma comparação entre a vida natural e a vida sobrenatural nos ajudará a entender. Uma mãe alimenta seu bebê recém-nascido imediatamente. Ela não espera que ele expresse seus gostos pessoais. Ela lhe fornece o essencial. Mais tarde, quando a criança tiver adquirido a capacidade de escolher com prudência, ela poderá decidir entre várias boas opções para se alimentar, de acordo com seus gostos, mas também segundo suas necessidades, que podem variar segundo a idade ou o estado de saúde. Da mesma forma, os pais cristãos darão a seus filhos a vida sobrenatural por meio do batismo – o essencial – sem demora. Mais tarde, quando eles tiverem atingido a idade da razão, poderão optar por nutrir a vida da graça em suas almas por meio de devoções – o acidental – que correspondam a seus gostos e necessidades. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – SETEMBRO/23

História de São Miguel Arcanjo

Caríssimos fiéis,

Neste mês, comemoramos a festa de São Miguel Arcanjo. No início de outubro, comemoraremos os Santos Anjos da guarda.

A devoção aos Santos Anjos é muito importante. Como os homens passam cada vez mais tempo diante das telas – muitas vezes para mergulhar no mundo artificial dos jogos ou filmes – é importante lembrar que há, realmente, um mundo invisível: o dos espíritos.

Um dia, conheci um idoso, supostamente católico, que me disse que não acreditava em anjos. Ora, não crer nos anjos é grave! Negar a existência dos anjos é negar a verdade da Sagrada Escritura, na qual sua presença é constante; desde os querubins que guardam a entrada do Paraíso terrestre, até os anjos que resgatam São Pedro de sua prisão, passando pela Anunciação, a Natividade de Nosso Senhor e muitos outros episódios.

Negar a existência dos anjos é também rejeitar os dois mil anos do Magistério da Igreja. O Quarto Concílio de Latrão afirma a existência dos anjos; e também diz o Concílio Vaticano I: “Desde o início dos tempos Deus criou do nada dois tipos de criaturas, a espiritual e a corpórea, ou seja, os anjos e o mundo”. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – AGOSTO/23

Onde está a Assunção de Maria na Escritura

Caríssimos fiéis,

Embora agosto não tenha o título de mês mariano como maio e outubro, no entanto ele é caracterizado por duas grandes festas da Santíssima Virgem: a Assunção, em 15 de agosto, e o Imaculado Coração de Maria, no dia 22.

O coração, símbolo do amor, faz-nos pensar que Maria é modelo do amor a Deus, um modelo de caridade.

Maria supera todas as outras criaturas no amor. Mais do que qualquer outra, Maria esteve em contato com a caridade infinita, tornou-se participante dela; Maria foi repleta dela: Ela era “cheia de graça”, o Senhor estava nela, o Senhor estava com ela; o Senhor, o próprio Amor, a graça, o manancial divino do seu Coração, do seu “Coração fornalha de caridade”. Foi porque Maria era “cheia de graça”, foi porque a caridade infinita estava nela e ela estava completamente aberta a essa caridade por meio da fé, fortalecida na esperança, que ela recebeu tal abundância e, ademais, foi capaz de corresponder ela, pois, em termos de amor, o que podemos retribuir a Deus que não tenhamos recebido dele? Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – JULHO/23

Caríssimos fiéis,

Dillon Reeves poderia ter permanecido um ilustre desconhecido durante toda a sua vida. Mas desde 27 de abril deste ano, seu nome se tornou famoso. Esse jovem americano, de Michigan, percebeu que seu ônibus escolar estava andando em ziguezague. O motorista havia desmaiado e Dillon fez o veículo retomar a sua trajetória e depois o parou completamente. Tudo isso apesar de ter apenas 13 anos de idade. Por que ele foi o único a perceber a anomalia na direção? Ao contrário de seus amigos, ele não estava absorto em seu celular. Como ele soube manobrar o ônibus? Dillon não tem celular! Isso permitiu que ele observasse o motorista todos os dias. Pais, os Senhores dão um celular aos seus filhos, para que eles não fiquem isolados do mundo. Claro, eles estão em contato com o mundo, mas desconectados da realidade.

O aspecto mais surpreendente desse caso provavelmente não é o ato heroico do menino, mas a reação das outras crianças, cujas vidas talvez ele tenha salvado: depois que o veículo parou, Dillon lhes disse que pedissem ajuda. Nenhuma delas quis fazê-lo, pois estavam muito ocupadas filmando a cena. Pais, os Senhores dão um telefone celular aos seus filhos para a segurança deles. Os Senhores não estão apenas colocando em risco seus corpos e almas, mas também destruindo o altruísmo deles. A postagem supera a caridade!

Tudo isso também se aplica, é claro, aos adultos. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – JUNHO/23

Momento da Prece: Atos de Fé, Esperança, Caridade e Contrição

Caríssimos fiéis,

Não faltam obras de caridade na Igreja. Especialmente no Brasil, as paróquias estão cheias de generosidade. Então, por que o catolicismo está em declínio? A Igreja parece um jardim em tempo de seca, apesar de todos os esforços feitos para irrigá-la. O problema não é tanto a intensidade do esforço, mas o espírito que  o impulsiona. Podemos regar o jardim com grande entusiasmo, mas se a mangueira se soltar de sua fonte, nada adianta.

Em sua entrevista de 5 de maio de 2023, o Padre Davide Pagliarani, Superior Geral da Fraternidade São Pio X, comenta sobre o estado da Igreja sob o pontificado do Papa Francisco: “Eles defendem uma Igreja sem doutrina, sem dogma, sem fé, na qual não há mais necessidade de uma autoridade para ensinar qualquer coisa. Tudo se dissolve em um espírito de amor e serviço, sem saber bem o que significa – se é que significa alguma coisa – e para onde deve levar.

Esse é o problema. A caridade desvinculada da fé nunca será mais do que o vinho comprado pelos noivos nas bodas de Caná. Essa bebida pode dar origem a uma certa alegria na vida, mas somente o vinho milagroso de Nosso Senhor pode fortalecer e fecundar a alma que permanece unida a Ele. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – MAIO/23

Dia de Nossa Senhora Aparecida: conheça a história da Padroeira do Brasil

Caríssimos fiéis,

Neste mês, iremos em peregrinação a Aparecida.

Uma peregrinação é uma espécie de resumo de nossa vida. Há um começo e um fim. No meio, há alegrias e penas que oferecemos por nossa santificação.

O famoso Beneditino, Dom Columba Marmion, expressou esta realidade da seguinte forma: “Quanto mais passa a vida, mais vejo que esta vida é apenas uma breve aparição enquadrada por duas eternidades, uma que precede e a outra que se segue. Esta vida é uma prova que precede a eternidade, uma expiação, uma participação na paixão de Jesus Cristo. Deus é tão bom que derrama neste copo algumas gotas de prazer (bastante efêmeras) para tornar a vida suportável, mas não é de forma alguma sua intenção que devemos nos fixar nestes prazeres. São Bento tem uma expressão que nos mostra a verdadeira atitude em relação ao gozo que Deus nos dá: Delicias non amplecti: Não o abrace, não se deixe levar por ele. Ele não diz para não desfrutar. O próprio Deus nos envia prazeres e Ele permite, Ele até mesmo quer que nós os aceitemos às vezes, mas Ele não quer que nos afundemos no prazer, porque então corremos o risco de deixar a Deus e nos entregarmos à criatura. As várias provas, tão duras, pelas quais passamos são lições de nosso Pai celestial para nos afastar das criaturas” (Vinde a Cristo todos vós que trabalhais; Maredsous, 1946, p.241).

Ao participar desta peregrinação, iremos para afastarnos da terra e aproximarmo-nos do céu. Desejamos compreender melhor o significado de nossas provas e receber o consolo espiritual. Quem melhor que a Santíssima Virgem Maria para nos ajudar? Tendo se tornado nossa mãe aos pés da cruz, ela compreende todos os nossos sofrimentos e assume todas as nossas dores.

Como uma boa mãe faz com seus filhos, ela leva-nos pela mão para ensinar-nos como caminhar para o céu sem ser desencorajados por quedas e dificuldades. Esta peregrinação contém um caráter especial daquele consolo que todos os povos católicos da terra vêm buscar nos santuários que levantaram para a glória de sua mãe celestial. Este consolo é especialmente perceptível em Aparecida. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – ABRIL/23

Vital Maria Gonçalves de Oliveira – Wikipédia, a enciclopédia livre

Caríssimos fiéis,

“Jesus autem tacebat”, “Mas Jesus se calava” (Mt 26,63). Nosso Senhor não respondeu às acusações caluniosas de pessoas mal-intencionadas.

“Jesus autem tacebat”. Esta foi a resposta de Dom Vital Maria Gonçalves de Oliveira (1844-1878), bispo capuchinho da diocese de Olinda (atual diocese de Recife), por ocasião de sua prisão no Arsenal da Marinha no Rio de Janeiro. Logo após sua entronização em sua cidade episcopal (24 de maio de 1872), ele foi confrontado com a hostilidade dos maçons. Sem se retrair das exigências de seu dever, ele empreendeu a conversão, primeiramente, e depois a condenação dos clérigos e leigos católicos pertencentes à seita. A pertinácia de alguns o obrigou a agir. Ele impôs um interdito (suspensão da administração dos sacramentos) em vários lugares de culto.

No final do século XIX, a maçonaria estava conduzindo uma virulenta campanha de perseguição contra a Igreja em todo o mundo. O Brasil não era exceção. A reação de Dom Vital foi insuportável para o governo imperial, sob influência maçônica. Preso em 2 de janeiro de 1874, Dom Vital foi levado à prisão no Rio em 13 de janeiro. Em 2 de fevereiro, ele recebeu seu mandado de acusação, deu-lhe uma resposta dentro de 8 dias. Nós sabemos a resposta: “Jesus autem tacebat”. No final de um julgamento tão iníquo quanto retumbante, Dom Vital foi condenado a quatro anos de prisão com trabalhos forçados. O Imperador Pedro II comutou a sentença para a prisão simples. E finalmente, após pressão de Roma, o “Atanásio brasileiro” foi amnistiado em setembro de 1875. Há um tempo para falar e um tempo para permanecer em silêncio! Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – MARÇO/23

Fil:Bernardino Luini - Saint Jerome in Penitence - Google Art Project.jpgCaríssimos fiéis,

Deus é bom, Ele me perdoará“. Muitas pessoas apaziguam sua consciência com esta fórmula, que expressa uma trágica ignorância do amor de Deus. Esta falsa ideia se encontra na concepção moderna da Redenção, que deseja ver neste mistério apenas uma obra de amor, mas não de justiça. Façamos, portanto, um rápido esclarecimento.

O mistério da Redenção é o mistério de Jesus Cristo que morreu na Cruz para redimir todos os homens.

Deus é amor. A Redenção é uma prova evidente disso. O Pai envia seu único Filho à Terra para ser sacrificado por nós. E o Filho aceita generosamente a missão que lhe foi confiada. Toda sua vida será um longo sacrifício completado pela imolação do Calvário, um sacrifício inspirado por seu amor por nós. “Não há maior amor do que dar a vida por aqueles que se ama”. A Redenção é, portanto, a obra de amor por excelência.

Deus é justiça. A Redenção também manifesta a justiça de Deus. Na Cruz, o Filho se oferece por amor à humanidade. Isto é verdade, mas dizer isto não é suficiente. Devemos especificar que a morte de Nosso Senhor tem como objetivo e efeito a redenção dos homens, ao obter o perdão de seus pecados. Assim, a ofensa cometida contra Deus é reparada. Esta reparação, realizada pelo Deus Homem, não só é igual à ofensa, mas a excede em muito. A Redenção é, portanto, obra da justiça por excelência. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – FEVEREIRO/23

Tableau : L'Imposition des Cendres

Caríssimos fiéis,

Aproxima-se um evento anual inevitável: o Carnaval. Vamos nos dar ao trabalho de abrir um pequeno manual litúrgico para saber mais sobre esta festa profana e o evento religioso que a acompanha: a Adoração das Quarenta Horas.

A palavra carnaval vem do latim “caro vale”, adeus à carne. Diz-se que a época do carnaval foi chamada assim porque precede a Quaresma, durante a qual, antigamente, a carne era completamente proibida. Diz-se que o entretenimento carnavalesco teve origem na Lupercália, que os pagãos celebravam em fevereiro em homenagem ao deus Pan, chamado Lupercus (do latim lupus, lobo) porque se acreditava que ele protegia os rebanhos da ira dos lobos. Durante esses festivais, os homens corriam cobertos de peles de cabra e mascarados, para que pudessem se entregar a todas as suas extravagâncias.

Assim, enquanto a Igreja procura desenvolver em nossas almas o espírito de penitência, a fim de nos preparar para os rigores da Quaresma, o mundo se entrega às loucas alegrias do carnaval.

Então, para reparar as desordens cometidas neste momento e para manter os fiéis longe deles, a Igreja convoca seus filhos para as orações das Quarenta Horas, aos pés de Nosso Senhor solenemente expostos nos altares. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – DEZEMBRO/22

ant

De acordo com alguns relatos, certos Padres impedem que seus fiéis se ajoelhem durante o cânon da Missa. O pretexto invocado: “Cristo ressuscitou”. Não se entende por que a realidade da Ressurreição deveria impedir a adoração eucarística. A menos que não se tenha mais fé na Presença Real.

A genuflexão, seja de um ou dois joelhos, acompanhada ou não da inclinação da cabeça ou do corpo, seja ela anterior à prostração parcial ou total, é um sinal de adoração que tem sido onipresente através dos séculos, civilizações e religiões em geral. Genufletir diante do Santíssimo Sacramento é uma confissão inequívoca de nossa fé na presença de Cristo nas Espécies Eucarísticas.

Recordemos o famoso milagre de Santo Antônio de Pádua. Um herege que se recusou a acreditar na presença de Jesus na Eucaristia lhe ofereceu o seguinte desafio: Depois de fazer jejuar sua mula por três dias, ele lhe apresentaria uma pilha de forragem de um lado e o Padre franciscano apresentaria a Hóstia do outro lado. No dia, na praça principal da cidade, uma grande multidão pôde ver a mula afastar-se da comida desejada e ir prostrar-se diante do Santíssimo Sacramento. E o herege se converteu.

Não esqueçamos que a atitude do povo nas igrejas é uma pregação silenciosa que ensina o visitante antes mesmo de ele ter aberto um catecismo. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – NOVEMBRO/22

Plik:Cristo crucificado (Murillo).jpg – Wikipedia, wolna encyklopedia

Stat crux dum volvitur orbis” A cruz permanece enquanto o mundo gira.

É uma realidade intangível que o mundo está passando e chegando ao seu fim. Ele não recebeu, como a Igreja, as promessas de vida eterna. No entanto, seus apoiadores não querem acreditar nisso e continuam distorcendo a realidade. Tanta energia é gasta para provar a suposta obsolescência de uma Igreja amontoada em torno de uma doutrina poeirenta e de uma moralidade inadequada. Ao mesmo tempo, cobrem de elogio à utopia chamada modernidade e aos homens que a servem. “Se acabou o tempo das catedrais”. Este é o grito apóstata de nosso tempo. Infelizmente, muitas pessoas sucumbem ao canto fatal das sereias. Intoxicadas pela euforia coletiva, elas embarcam no navio do século. Elas se imaginam atualizadas e, no entanto, sua atitude é uma mera repetição modernizada dos fatos históricos.

Lembrem-se, foi há 110 anos, em abril de 1912. Não é ontem, pode-se dizer. Sim, mas naquela época, o que é para nós o passado era o presente. No ponte do Titanic, todos sentiam o gênio humano, o auge da modernidade. Este sonho orgulhoso, que “nem mesmo Deus poderia afundar”, sucumbiu em poucas horas. Foi engolido como os detratores de Noé em seu tempo. Vamos escolher bem nosso navio. Somente o barco da Igreja sobrevive. Os outros estão afundando e levando os passageiros do mundo com eles. Que não haja engano, a Igreja com seus ensinamentos, seus mandamentos e seus sacramentos permanece atual. Ela estará sempre. Os males que acompanham sua ausência são prova suficiente de sua necessidade. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – OUTUBRO/22

nuno

Caríssimos fiéis,

Este mês de outubro de 2022 é um mês de eleições em nosso país. Presidente, governadores… Alguns mudarão, outros serão mantidos, novas personalidades aparecerão. Devemos ser indiferentes a esses movimentos políticos? Quaisquer que sejam seus poderes reais, todos os eleitos são líderes em graus diversos. Como tais, eles orientam a sociedade ao seu fim. “O corpo tira alimento e coesão da cabeça” (Col. 2,18-19).

Primeiramente, a existência do líder é uma necessidade. Uma sociedade sem um líder seria como um corpo sem uma cabeça. Ela não poderia existir. A autoridade é um elemento constitutivo de qualquer sociedade. Este é um dos maiores problemas da tese do sedevacantismo na Igreja. Dizer que o Papa não é Papa é dizer que a Igreja é uma sociedade sem cabeça. A negação da autoridade leva ao colapso. A prova está nas milhares de seitas protestantes. Os sedevacantistas não são uma exceção a esta dissolução. Como uma espécie de “protestantismo católico”, o sedevacantismo não pode subsistir em nenhuma outra forma que a de múltiplos agrupamentos autocéfalos.

Em segundo lugar, a existência do líder garante a permanência da sociedade. Esta existência é tão fundamental que mesmo a maldade do líder não é suficiente para torná-lo ilegítimo, nem justifica a desobediência a ele. “Servos, sede submissos a vossos senhores com todo o temor; não somente aos bons e humanos, mas também aos difíceis” (I Pd 2,18-23). A sabedoria do rei Salomão resume a situação: “Onde não há governante, o povo é corrompido” (Pr 11,14). Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – SETEMBRO/22

A atitude pessoal de São Pio X para com os modernistas. – Fratres In UnumCaríssimos fiéis,

Dom Lefebvre inscreveu voluntariamente o apostolado de nossa Fraternidade no espírito de São Pio X, pois o escolheu como seu santo padroeiro. Portanto, contemplando a vida de São Pio X, entenderemos melhor o que nosso fundador queria para nós.

I. São Pio X como reformador

Seu pontificado foi relativamente curto, de 1903 a 1914, mas foi impulsionado por uma vontade enérgica. As muitas reformas realizadas pelo Papa são testemunho disso: reforma da música sacra, reforma da Cúria, reforma do Código de Direito Canônico, reforma do catecismo, introdução da comunhão frequente e das crianças, etc. Em todas estas áreas, São Pio X realizou uma autêntica reforma, ou seja, uma recentralização. Ele mesmo expressou bem este espírito: “Omnia instaure in Christo”. “Restaurar tudo em Cristo”.

 Assim, São Pio X foi um papa reformador, o que não significa um papa inovador, mas um papa restaurador. Por suas iniciativas, ele puxou o tapete dos modernistas, falsos reformadores, que não procuraram recentralizar-se no essencial, mas modificar os fundamentos. Assim, São Pio X estabeleceu os princípios de uma verdadeira renovação. Como restaurador, Dom Lefebvre só tinha que apoiar-se sobre o trabalho do santo Papa. É por isso que ele o escolheu como patrono. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – AGOSTO/22

ORDE

Caríssimos fiéis,

Garantir o nosso sustento é a principal ocupação das nossas vidas. E, em tempos de fome, esta busca torna-se uma verdadeira obsessão. Isto deveria ser igualmente verdadeiro em relação ao nosso sustento espiritual. No Evangelho do 8º domingo depois de Pentecostes, Nosso Senhor nos reprovou por sermos mais frequentemente filhos deste mundo, bem versados em assuntos terrenos, do que filhos da luz, preocupados com a própria salvação. Santo Agostinho disse sobre esta questão da salvação: “Quem a conhece sabe tudo; quem não a conhece sabe nada, mesmo que saiba todo o demais”.

Sim, estamos preocupados com o aquecimento global experimentado por todo o planeta. Infelizmente, este aquecimento não se deve às chamas da caridade, mas sim às do inferno. Milhões de almas estão morrendo de sede, longe das fontes salvíficas dos sacramentos. E não há ninguém para matar a sua sede. Os bombeiros de almas são menos numerosos do que a extensão dos incêndios.

Para todo cristão que está consciente do único necessário, nossa salvação, o despertar das vocações e a perseverança dos padres continuam sendo uma prioridade na vida. Os sacerdotes e os fiéis precisam do padre. Uma bela oração do Cardeal George Mundelein, Arcebispo de Chicago, que morreu em 1939, mostra esta dependência espiritual desejada por Nosso Senhor no plano da redenção. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – JULHO/22

O que é o Preciosíssimo Sangue?

Caríssimos fiéis,

No calendário litúrgico tradicional, o mês de julho começa com a Festa do Preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ela segue de perto a Festa do Santíssimo Sacramento, celebrada na quinta-feira seguinte à Santíssima Trindade. No calendário litúrgico moderno, a festa do Preciosíssimo Sangue desapareceu. Pensou-se que ela duplicava a festa do Santíssimo Sacramento e que não era necessário mantê-la. A festa do Santíssimo Sacramento foi chamada “do Corpo e Sangue de Cristo”.

É verdade que todo o Cristo está presente na Santa Hóstia; com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade.

Também é verdade que a festa do Preciosíssimo Sangue é relativamente recente, pois foi instituída pelo Papa Pio IX em 1849 para agradecer a Deus por sua vitória sobre a revolução italiana que o havia expulsado de Roma. Inicialmente marcado para o primeiro domingo de julho, passou a ser comemorado no primeiro de julho desde a reforma de São Pio X.

Tudo isto significa que esta festa não é tão importante?

Na Santa Missa, há uma dupla consagração: a do Corpo e a do Sangue. No entanto, o Sangue está contido no Corpo. Só a consagração do Corpo seria suficiente. Ao manter a dupla consagração em sua liturgia, a Igreja deseja manifestar o caráter sacrificial da Missa. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – JUNHO/22

Solenidade da Santíssima Trindade - Vatican News

Caríssimos fiéis,

O mistério da Santíssima Trindade é o mistério próprio do cristianismo. “Ide, ensinai todas as nações, batizai-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo . Tal é a instrução imperativa do Senhor.

Fomos batizados em nome da Santíssima Trindade, como Nosso Senhor nos ordenou. Sentados no colo de nossa mãe, aprendemos a fazer o gesto do sinal da cruz, em nome das três pessoas divinas.

A Trindade é o maior mistério do cristianismo. Para alcançá-lo, devemos elevar-nos acima do mundo material, acima do mundo dos homens, acima do mundo dos espíritos angélicos; devemos penetrar além do tempo, nas regiões insondáveis da eternidade, onde habita a Santíssima Trindade: o Pai eterno, o Filho gerado desde toda a eternidade pelo Pai, o Espírito Santo que procede do Pai e do Filho, eterno como o Pai e o Filho – ou seja, um único Deus, uma única natureza divina em três pessoas distintas, mas iguais em todas as coisas.

Por que Deus nos revelou este mistério? Um mistério que, de qualquer forma, é incompreensível para nós, inacessível pela nossa inteligência? Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – MAIO/22

NSEN

Caríssimos fiéis,

Após um intervalo de dois anos, este mês poderemos retomar a Peregrinação anual a Aparecida.

Ao contrário da afirmação de uma certa feminista para quem o papel da mulher foi “desprezado, ignorado ou minimizado em todas as religiões”¹ , a Virgem Maria ocupa um lugar acima de todos os homens na terra e durante séculos Ela tem sido a mulher mais popular do planeta. O mês de maio é dedicado a Ela. Vamos nos perguntar o porquê.

Antes de mais nada, deve-se ressaltar que a dedicação de um mês a uma devoção particular é uma forma relativamente recente de piedade popular, que geralmente não era usada até o século XVIII. Assim, dez grandes festas do calendário litúrgico deram uma tonalidade particular a todos os dias do mês em questão, exceto fevereiro e abril: janeiro é o mês do Santo Nome de Jesus desde 1902; março, o mês de São José, desde 1855; junho, o mês do Sagrado Coração desde 1873; julho, o mês do Preciosíssimo Sangue desde 1850; agosto, o mês do Imaculado Coração de Maria; setembro, o mês de Nossa Senhora das Dores desde 1857; outubro, o mês do Rosário desde 1868; novembro, o mês das Almas no Purgatório desde 1888; dezembro, o mês da Imaculada Conceição.

Maio, o mês de Maria, é o mais antigo e mais conhecido dos meses consagrados. Ele surgiu no século XVII como uma reação contra o Jansenismo. Nasceu em Roma, donde se estendeu aos Estados Pontifícios, depois ao resto da Itália e finalmente a todo o catolicismo. Continuar lendo

MOTU PROPRIO TRADITIONIS CUSTODES, PELO PE. JEAN-FRANÇOIS MOUROUX, FSSPX, PRIOR DO PRIORADO DE SÃO PAULO

http://www.catolicosribeiraopreto.com/wp-content/uploads/2019/11/jean.png

Sermão do X Domingo depois de Pentecostes proferido na Capela São Pio X, do Priorado Padre Anchieta, com publicação autorizada para o blog Dominus Est

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Caros fiéis,

Em 16 de julho, foi lançado um novo grande ataque contra a Tradição Católica: o Motu Proprio Traditionis Custodes do Papa Francisco, que reduz ao máximo a celebração da Missa Tridentina. Para a Fraternidade São Pio X (FSSPX), estas disposições não mudarão nada, exceto para lhes trazer mais fiéis. Mas é importante saber por que isto não mudará nada para nós. Também devemos entender a diferença entre a FSSPX e as chamadas comunidades “Ecclesia Dei” para as quais tudo vai mudar.

Voltemos à origem desta ruptura na luta pela defesa da Tradição católica. Em 1988, Dom Marcel Lefebvre consagrou quatro bispos sem a autorização de Roma. Para ele, era uma questão de sobrevivência. Após vários anos de negociações com Roma para tentar explicar os problemas colocados pela nova doutrina do Vaticano II, a nova liturgia, os novos sacramentos, a nova lei canônica, após os repetidos escândalos, incluindo a famosa reunião ecumênica em Assis, Dom Lefebvre estava convencido de que a hierarquia da Igreja não queria “apoiar ou continuar a Tradição“. E hoje o Papa Francisco lhe dá razão, pois deixa claro que as concessões feitas à liturgia tradicional foram feitas com o objetivo de trazer aos poucos os sacerdotes e os fiéis à nova liturgia. Então, consequentemente, Dom Lefebvre decidiu salvar a Tradição, consagrando bispos.

Infelizmente, alguns sacerdotes da Fraternidade São Pio X, naquela época não quiseram seguir Dom Lefebvre no que foi chamado de seu “cisma“. Para eles, Roma criou uma estrutura chamada Comissão Ecclesia Dei, cujo nome vem do texto que a estabeleceu. Esta estrutura reuniu gradualmente todos os Institutos que desejavam preservar a Missa tradicional sendo eles reconhecidos por Roma. Estes incluíam a Fraternidade São Pedro e o Instituto do Bom Pastor. “Não podemos desobedecer ao Papa“, disseram eles. “Temos que ficar dentro da Igreja para promover a Tradição.”

Mas para Dom Lefebvre, não se tratava de sair da Igreja, mas justamente de permanecer nela. Não foi ele quem mudou, mas as autoridades da Igreja que mudaram.

Em uma conferência em 21 de dezembro de 1984, ele disse: “Não podemos nos colocar sob uma autoridade cujas ideias são liberais e que nos condenaria pouco a pouco, pela força das circunstâncias, a aceitar suas ideias e suas consequências, antes de mais nada, a Nova Missa.”

Em uma conferência em dezembro de 1989 (um ano depois das sagrações episcopais), Dom Lefebvre voltou a falar da situação daqueles que preferiam se submeter a Roma: “Eles se encontrarão rapidamente em uma contradição, pois se aceitarem o Concilio, terão que aceitar suas consequências. E as consequências incluem a reforma litúrgica.”

Então, a atitude do arcebispo Lefebvre pode ser explicada por dois princípios: Continuar lendo

CRISMAS 2021 EM SÃO PAULO

Caros Fiéis,

Sua Excelência Dom Bernard Fellay visitará o Brasil em agosto-setembro. Ele deverá administrar o sacramento da Crisma em São Paulo no sábado, 4 de setembro de 2021. 

Aqueles que desejarem receber este sacramento deverão preencher as seguintes condições:

  • frequentar uma capela da Fraternidade São Pio X por ao menos seis meses
  • entregar ao Padre encarregado de sua capela:

– a certidão de Batismo da pessoa que receberá a Crisma

– o documento de identidade (RG) da pessoa que receberá a Crisma

– a certidão da Crisma do padrinho / madrinha

– o formulário “Pedido de Crisma” preenchido (este documento está disponível no site www.fsspx.com.br)

  • assistir aos cursos de formação que serão agendados posteriormente

As inscrições serão encerradas em 15 de junho. 

Alguns detalhes para ajudar a preencher o formulário “Pedido de Crisma”, disponível ao final desta página:

Certidão de Batismo:

Aqueles que foram batizados em uma das capelas do Priorado Padre Anchieta de São Paulo, não precisam fornecer a certidão de Batismo. 

Padrinho / Madrinha:

Cada pessoa que recebe o sacramento da Crisma deve ter um padrinho ou madrinha. As condições para assumir esta responsabilidade são as seguintes: 

– ser do mesmo sexo do confirmando, 

– não ser o padrinho/madrinha do Batismo, 

– ter pelo menos 16 anos de idade, 

– ser batizado e crismado, 

– ter uma vida em conformidade com a moral católica, 

– não estar sob sentença canônica, 

– não ser membro de uma seita herética ou cismática, 

– não ser pai, mãe ou cônjuge do confirmando.

Os padrinhos que foram crismados em uma capela dependente do Priorado Padre Anchieta de São Paulo não precisam fornecer a certidão de Crisma.

Nome de Crisma:

É costume escolher um nome específico adicional para Crisma, mas não é obrigatório. É possível manter o nome de Batismo.

Crisma sub conditione (sob condição): 

Se uma pessoa que já recebeu a Crisma tem alguma dúvida ou certeza sobre a invalidade deste sacramento, ela pode recebê-lo novamente sob condição. 

Neste caso, é possível escolher outro padrinho.

Qualquer dúvida, escrive para: contato@fsspx.com.br

Obrigado por cumprir com todas estas indicações.

Estejam certos das orações e dedicação dos Padres.

Padre Jean-François Mouroux, FSSPX

Prior

Ficha de inscrição

Clique no botão abaixo para abrir a ficha de inscrição. Você deve imprimi-la, preenchê-la completamente e entregá-la, juntamente com todos os documentos pedidos, ao Padre encarregado de sua capela ou a um Padre no Priorado Padre Anchieta.

Clique aqui para acessar a ficha de inscrição