DÊ-ME A MEDALHA DE CONGREGADO!

Resultado de imagem para medalha congregação marianaEm Dezembro de 1929, na cidade austríaca de Graz, adoeceu um jovem de 18 anos, estudante da academia de comércio. Levaram-no ao hospital, e os médicos constataram que era um caso muito grave de tifo. Durante muitos dias teve mais de 40 graus de febre. Foram-lhe administrados o santo Viático e a extrema-unção.

Em suas fantasias de febre gritava que causava dó. E seu estado piorava de dia para dia. Nos momentos lúcidos repetia inúmeras vezes:

“Meu Deus, ajuda-me!”

Um tio seu visitou-o muitas vezes. Por ocasião de uma dessas visitas, o enfermo pediu a medalha de congregado mariano que deixara em casa. Mas custou muito a articular a palavra. Não conseguia dizer tudo.

Assim que o tio compreendeu de que se tratava, correu a busca-la e a trouxe. O doente parecia que morreria de minuto por minuto. A Irmã enfermeira colocou a medalha sobre o peito do enfermo e em seguida pregou-a aos pés da cama de modo que ele podia enxerga-la. Dirigiu para ela, então, o olhar suplicante e não mais tirou a vista dela.

De repente, por todo o corpo do doente apareceu abundante suor e tendo sempre gemido e gritando, ficou imóvel e calado de maneira que a Irmã pensou que tivesse morrido. Mas vendo o suor disse: “Está salvo!”

E de fato, desde aquele momento o enfermo ficou calmo e o espírito tornou-se lúcido. Devagar foi melhorando e após algumas semanas, restabelecido, deixou o hospital.

Nossa Senhora teve pena de seu congregado e ajudou-o otimamente.

*          *          *

Felizes são os que bem cedo se inscrevem na congregação Mariana. É a salvação de tantos meninos e moços. O mesmo vale, naturalmente, da Pia União das filhas de Maria. Os bons filhos de Maria têm o Céu garantido. Por isso não há necessidade de eu pedir que cada qual consiga alistar-se no glorioso exército da Imaculada.

Como Maria Santíssima é boa! – Frei Cancio Berri

FRANCISCO E NOSSA SENHORA CORREDENTORA

Resultado de imagem para nossa senhora corredentora"Pe. João Batista de A. Prado Ferraz Costa

A cada dia que passa torna-se mais evidente a insensatez de certos católicos conservadores que afirmam que, diante das inúmeras declarações desconcertantes e dos ensinamentos heterodoxos do papa Francisco, a única atitude correta (deveriam confessar, a única atitude cômoda), a única postura coerente de um católico é limitar-se a rezar pelo papa, disfarçando ao máximo seus desvios, numa dissimulação, num acobertamento de seus erros. Ao contrário dessa posição cômoda, que evita os dissabores de todo tipo de perseguição, Santa Catarina de Sena, que chamava o papa “o doce Cristo na terra”, dizia que o silêncio tudo corrompe.

Como ficar calado quando vemos a dignidade excelsa de nossa Mãe Maria Santíssima rebaixada por uma recente declaração de Francisco Bergoglio que disse que é uma “tonteria” proclamar Nossa Senhora Corredentora? Impossível guardar silêncio em face de quem tripudia sobre o título mais glorioso da Rainha dos Mártires.

Se o papa, em tom sereno e digno, se reportasse às dificuldades teológicas que o título de corredentora atribuído à Maria Santíssima implica, acataria respeitosamente as palavras do Santo Padre. Mas não é o caso.

A declaração infeliz de Francisco exige uma reparação pública, porque qualquer palavra, qualquer gesto tendente a diminuir a dignidade da Medianeira de todas as graças – a qual não é um simples membro ilustre do corpo místico de Cristo que intercede pelos seus filhos, como pretende a teologia modernista -, sobre ser suspeita de heresia, é nociva à piedade das pessoas mais simples e contradiz a doutrina tradicional resumida nos célebres dizeres de São Bernardo: De Maria nunquam satis.

É verdade que o título de corredentora suscita certas dificuldades, coisa admitida por  teólogos abalizados como o cardeal Pietro Parente no Dizionário di Teologia Dommatica (cf. verbete “Corredentrice”, Roma, 1957), mas não se trata de dificuldades insanáveis. Continuar lendo

EM FÁTIMA, O CATECISMO DE NOSSA SENHORA: CONSOLAR A DEUS

Nossa Senhora apareceu na Cova da Iria para lembrar ao mundo que a “única coisa necessária” consiste em buscar, em primeiro lugar, todo o reino de Deus e Sua justiça.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Isso significa que devemos prestar a Deus o que lhe é devido: toda honra e toda glória. Se sua majestade é ofendida pelo orgulho do homem, então a justiça consiste em perfeita reparação à sua majestade ultrajada, através da penitência, da expiação e de todos os atos que restauram a ordem verdadeira.

Qual é então a resposta mais perfeita que podemos dar, pobres pecadores confrontados com a agonia de Nosso Senhor e Sua cruel paixão? Qual, então, poderia ser esse ato perfeito de amor que Deus nos pede em seu primeiro e maior mandamento? Nosso Senhor mesmo nos dá a resposta: “Busquei em vão a compaixão, busquei um consolador, mas não encontrei ninguém“. A devoção ao Seu Sagrado Coração não é senão um ato de reparação e de expiação a fim de consolá-Lo. O coração repleto de amor diz a Nosso Senhor: “Se em todos os lugares onde Vós bateis ninguém Vos responde, se Vós fostes expulso da sociedade, das instituições, das famílias e até mesmo de Vossas próprias igrejas, se Vós estais sozinho e desprezado, Vós, o Criador e Mestre de tudo, então desejo abrir-Vos largamente o meu coração, oferecer-Vos conforto e refúgio, para que Vós sejais bem-vindo, certamente pobre, mas sincero, onde podeis descansar Vossa cabeça e encontrar um lugar de descanso. Quanto mais Vos rejeitarem, mais Vos quero receber; quanto mais Vos esquecerem, mais eu quero lembrar de Vós; quanto mais distantes estão de Vós, mais quero me voltar a Vós; quanto mais desprezam o Vosso amor, mais eu quero honrá-Lo; quanto mais encherem Vossa alma de tristeza e lágrimas, mais quero consolar-Vos! 

Nossa Senhora escolheu as crianças de Fátima para nos ajudar a entender a grandeza e a importância desses desejos do coração. O pequeno Francisco não foi capaz de levar uma vida de missionário ou de monge contemplativo; ele só podia oferecer suas simples orações e seus sacrifícios, assim como Santa Verônica só podia apresentar um lenço a nosso Senhor torturado e desprezado. Externamente, essas coisas não são nada, mas interiormente há um ato supremo de amor que deu à Verônica o mérito de tornar-se santa e de ver Cristo com seu rosto sofrido impresso não apenas em seu véu, mas em sua própria alma. E quem, entre nós, não é capaz de imitar as ações simples de uma pequena criança para consolar Nosso Senhor e Nossa Senhora?

Como o mundo nega a glória e a honra devidas a Deus, é necessário fazer um ato de reparação. Isto é feito principalmente através do amor, e o primeiro ato de amor é estar com o Ser amado, de Lhe contemplar e viver sempre em Sua presença. O segundo ato de amor é reparar a ofensa por um movimento oposto. Talvez não haja nada mais emocionante do que o coração agradecido de uma criança que deseja dar alegria ao seu pai e à sua mãe e que os consola com um sorriso e uma chama ardente de amor.

UMA GRAÇA EXTRAORDINÁRIA

Resultado de imagem para maria santíssima imagemTeófilo era Sacerdote em Adanas, cidade da Cilícia, na Ásia Menor. Gozava de tanta estima que o povo o quis para Bispo. Ele, porém, por humildade, recusou a subida honra. Tempos depois, alguns malvados o caluniaram.

O Bispo, pensando que fosse verdade, lhe tirou o cargo que ele possuía. Era ele arcediago da igreja. Ficou tão aborrecido e tão desgostoso que foi ter com um mágico judeu, que pôs em comunicação com satanás, para obter dele auxílio na sua desgraça.

O demônio prometeu-lhe ajuda, com a condição, porém, de ele assinar, de próprio punho, um papel em que renunciava a Jesus e Maria, sua Mãe.

Teófilo, obcecado, acedeu e assinou a terrível renúncia.

No dia seguinte, o Bispo, tendo reconhecido a falsidade das acusações, pediu-lhe perdão e restituiu-lhe o cargo que antes ocupara.

Mas Teófilo com, com a consciência dilacerada de remorsos pelos graves pecados que fizera, não fazia outra coisa senão chorar. Para buscar remédio à sua miséria, vai a uma igreja. Lança-se aos pés de uma imagem da Virgem e diz-lhe soluçando:

– Ó Mãe de Deus, não quero entregar-me ao desespero, porque vós me restais, vós que sois tão piedosa e me podeis ajudar.

Durante quarenta dias implorou à Santíssima Virgem.

Uma noite, apareceu-lhe a Mãe de misericórdia e disse-lhe:

– Ó Teófilo, que fizestes? Renunciastes a minha amizade e a meu filho. E isso por quem? Por aquele que é teu inimigo. Continuar lendo

OUTUBRO: MÊS DO ROSÁRIO

Resultado de imagem para nossa senhora do rosarioPrezados amigos, leitores e benfeitores, louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Nesse mês do Rosário, disponibilizamos abaixo os links para as Encíclicas de Leão XIII sobre o Rosário e Nossa Senhora.

“Ora pro nobis, sancta Dei Genetrix, Ut digni efficiamur promissionibus Christi.”

E LOGO CONSEGUIU

Resultado de imagem para Gema GalganiConta o seguinte fato o Padre Germano de S. Estanislau, diretor espiritual de Santa Gema Galgani, a qual faleceu em 1903.

O Padre fora à casa onde ela morava. Apenas entrara, chamou-o pelo nome, embora nunca o tivesse visto.

Durante o jantar retirou-se a jovem para o quarto.

As pessoas de casa levaram o Sacerdote para lá. Já estava em êxtases. Pedia em voz alta a conversão de um grande pecador. Jesus parecia não querer atender. Mas ela afirmava: “Não me levantarei daqui enquanto não for atendida. Lembre-se, Senhor, que essa alma lhe custou o sangue e morte”.

Jesus então foi enumerando um por um todos os pecados graves daquele pecador. Gema Galgani, repetindo os pecados, pedia que tivesse mesmo assim compaixão.

Mas Jesus parecia não querer ainda atender.

– Pois bem, Jesus, se é assim então eu vou dirigir-me à sua Mãe Santíssima.

E mal apresentara o pedido a Nossa Senhora, Gema exclamou:

“Está Salvo! Está salvo!”

Depois disso, o Padre se retirou a seu quarto. Decorridos alguns minutos, ouve bater à porta.

– Está aqui um senhor de fora que o procura, disse a dona da casa> Mande o entrar.

– Está bem; que venha cá.

O desconhecido atirou-se aos pés do Sacerdote, exclamando entre lágrimas:

– Padre confesse-me.

Era exatamente aquele pecador mencionado por Gema Galgani.

Feita a confissão (o Padre já ouvira todos os pecados antes) pôde dizer-lhe um que o pecador esquecera.

A oração e o pedido de Nossa Senhora vale imensamente e, por isso, alcança tudo.

Como Maria Santíssima é boa! – Frei Cancio Berri

CURADA DURANTE A REZA DO TERÇO

Resultado de imagem para rezando terçoFrancisca Rao, refere o jornal do Vaticano “L’Osservatore Romano”, fora submetida, em março de 1925, a uma operação sem resultado. Estava imóvel no hospital de Santo Tomás em Roma, sem esperança de cura; desenganada pelos médicos, há quase dois anos, sente uma noite dores terríveis no momento em que recitava o terço em companhia de uma religiosa. Meditava sobre os mistérios dolorosos, e ao chegar ao chegar ao quarto mistério teve que interromper a reza. Poucos minutos após, quando o médico, chamado às pressas para vê-la, ia entrando no quarto, a doente salta da cama, gritando:

“A Santíssima Virgem curou-me!”

De fato, a enferma estava completamente restabelecida. Os médicos tiveram que declarar que a cura fora de caráter sobrenatural.

A oração do terço realizara o milagre.

*          *          *

Aproveito aqui a ocasião para lembrar a grandiosa promessa que Nossa Senhora fez em Fátima, Portugal, em 1917. Ela prometeu na sua imensa bondade assistir na hora da morte a todos os que, em cinco primeiros sábados seguidos de cada mês, confessados, receberem a santa comunhão em desagravo meditando os quinze mistérios, fazendo-lhe assim companhia durante quinze minutos.

A quem Maria Santíssima assistir na hora da morte, terá os últimos momentos desta vida suavizados, e morrerá na graça de Deus.

Coisa tão fácil de cumprir, ninguém deixará de fazer.

Como Maria Santíssima é boa! – Frei Cancio Berri