11 DE FEVEREIRO – DIA DE NOSSA SENHORA DE LOURDES

OurLadyofLourdes

Prezados amigos, leitores e benfeitores, louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Seguem abaixo a indicação de dois textos publicados pelo excelente blog O Segredo do Rosário sobre Lourdes:

Outros dois que publicamos:

O sobrenatural em Lourdes – Parte 1

O sobrenatural em Lourdes – Parte 2

E também uma pequena história do livro Tesouro de Exemplos: Uma cura em Lourdes

HÁ IMPERFEIÇÕES NA MÃE DE DEUS?

Maria Santíssima, modelo de oração - Arsenal Católico

Foi ninguém menos que um Doutor Católico, um Padre da Igreja, que identificou alguns fatos que atribuiu à Santíssima Virgem como imperfeições, durante o encontro do Menino Jesus no Templo e, também, nas Bodas de Caná. Trata-se de São João Crisóstomo.

Fonte: Permanencia

Em sentido contrário, deve-se dizer que a Santíssima Virgem nunca cometeu a menor imperfeição. As razões explicando isso são inúmeras.

Primeiro, porque a Mãe de Deus não tinha a “fonte do pecado” – também chamada de concupiscência – que é uma das causas principais das imperfeições. Essa ausência está ligada à sua imunidade ao pecado original.

Além disso, a virgem das virgens possuía a virtude perfeita em razão da graça que lhe havia sido dada. Ela também estava destinada a ser um modelo de santidade, porque Nossa Senhora é a primeira dos redimidos: é conveniente que seja ela, que tem o primado na ordem da santidade, deveria incorporá-la em sua perfeição consumada

Finalmente, sua perfeita prudência sempre determinou sua atividade na maneira que estava mais conformada à vontade de Deus. Continuar lendo

8 DE DEZEMBRO: FESTA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA

ima6Clique na imagem acima para ler a Bula Ineffabilis Deus, de S.S. Pio IX, que definiu em 8 de dezembro de 1854, o Dogma da Imaculada Conceição de Nossa Senhora.

E abaixo colocamos dois sermões: um do do Pe. Carlos Mestre, FSSPX, por ocasião da Solenidade da Imaculada Conceição, em 2018 e outro do Pe. Samuel Bon, FSSPX, pela mesma Festa em 2019.

13 DE OUTUBRO: O MILAGRE DO SOL EM FÁTIMA

IMG-20211013-WA0010

Há 106 anos, a 13 de outubro de 1917, dezenas de milhares de pessoas assistiram, à hora prevista, ao chamado “Milagre do Sol” — um sinal pedido a Nossa Senhora por irmã Lúcia, três meses antes, para que todos acreditassem nas aparições de Fátima.

O Sr. Bernardo Motta recolheu cerca de centena e meia de depoimentos de testemunhas oculares, que transcreveu e reuniu num livro: O Milagre do Sol segundo testemunhas oculares.

Sr. Bernardo é católico, casado, pai de 3 filhos e Engenheiro de profissão, dedica o seu tempo livre ao estudo de Fátima, tanto do milagre, como mais recentemente do segredo “em três partes”.

Para ler uma reportagem sobre esse Livro e alguns depoimentos sobre o milagre do sol, clique aqui.

Para ouvir uma entrevista com o autor, sobre esse milagre, clique aqui.

11 DE OUTUBRO: FESTA DA MATERNIDADE DE NOSSA SENHORA

Ao exaltar a maternidade divina da Santíssima Virgem, a Igreja celebra a Mãe por excelência e o modelo de todas as mães.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Esta festa foi instituída em 1931 pelo Papa Pio XI por ocasião do 15° centenário do Concílio de Éfeso, onde foi proclamado o dogma da maternidade divina de Maria.
 
Nos textos da liturgia, a Igreja expressa como Maria é Mãe de Jesus, mas também nossa Mãe, uma vez que é por sua intercessão que ela obtém para nós a graça que nos une sobrenaturalmente ao seu Filho divino. A maternidade virginal de Maria estende-se desde Cristo, que ela realmente gerou na sua carne, a todos os membros do Corpo místico do Filho de Deus.
 
Este ensinamento é exposto por São Pio X na encíclica Ad diem illum (1904):
 
“Não é Maria a Mãe de Deus? Portanto é Mãe nossa também. Todos, portanto, que, unidos a Cristo, somos, consoante as palavras do Apóstolo, “membros do seu corpo, de sua carne e de seus ossos” (Ef 5, 30), devemos crer-nos nascidos do seio da Virgem, donde um dia saímos qual um corpo unido à sua cabeça. É por isso que somos chamados, num sentido espiritual e místico, filhos de Maria, e ela é, por sua vez, nossa Mãe comum. Mãe espiritual, contudo verdadeira mãe dos membros de Jesus Cristo…”

OUTUBRO: MÊS DO ROSÁRIO

Nossa Senhora do Rosário – História Nossa Senhora

Prezados amigos, leitores e benfeitores, louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Nesse mês do Rosário, disponibilizamos abaixo os links para as Encíclicas de Leão XIII sobre o Rosário e Nossa Senhora.

“Ora pro nobis, sancta Dei Genetrix, Ut digni efficiamur promissionibus Christi.”

Aproveitamos para disponibilizar alguns textos já publicados em nosso blog sobre o Rosário:

NOS PASSOS DE NOSSA SENHORA DAS 7 DORES

Nessa terrível crise a Igreja que atravessa, Nosso Senhor é novamente crucificado em seus membros. Como devemos reagir ao que poderíamos chamar de paixão da Igreja? É junto a Nossa Senhora das Sete Dores, nessa simples presença de Maria aos pés do Crucificado, que devemos nos inspirar.

Fonte: Lou Pescadou n° 235 – Tradução: Dominus Est

Stabat

Qual foi a maior dor de Maria aos pés da cruz? A profecia do velho Simeão é bem conhecida: Uma espada trespassará a sua alma (Lc. 2, 35). Para entender essa predição, precisamos explicar o significado exato dos dois termos: “espada” e “alma”. No grego puro de São Lucas, a psique refere-se, sobretudo, ao espírito, à inteligência. As palavras de Simeão não podem, portanto, limitar-se ao domínio da sensibilidade. Uma tradução mais profunda seria: uma espada trespassará a sua inteligência. Qual será essa espada? Frequentemente chamada de espada de dois gumes nas Escrituras, esta palavra refere-se, sobretudo, a um princípio de divisão, e de uma divisão radical como a que pode existir entre o bem e o mal, entre a verdade e o erro. É assim que, por exemplo, é usada por São Paulo: A palavra de Deus é viva, eficaz, e mais penetrante que toda espada de dois gumes; chega até a separação da alma e do espírito, das junturas e das medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração (Hb. 4,12). Esta palavra ainda é usada para designar o instrumento do sacrifício, aquele que dá o golpe fatal na vítima. Assim, o grande sofrimento de Maria aos pés da cruz, que a unirá plenamente ao sacrifício divino, situa-se numa divisão radical da sua inteligência, faculdade mais especificamente humana, sede da virtude da fé, voltada Àquele que é estabelecido como sinal de contradição (Lc. 2, 34).

Com efeito, nesse Filho crucificado existem certas contradições aparentes que colocam a inteligência da Santíssima Virgem à prova. Por um lado, recordando as palavras do anjo na Anunciação (Lc. 1, 32), ela sabe, com certeza, que Jesus é o Filho de Deus que deve reinar eternamente sobre a casa de David. E agora Jesus apresenta-se a ela como o Crucificado, ou seja, maldito de Deus e dos homens. Não está escrito nas Escrituras: “Porque é maldito de Deus aquele que está pendente no lenho, (Dt. 21, 23)? Jesus aparece, portanto, como Aquele que é rejeitado por Deus. Ele não só aparece como tal, mas Ele mesmo parece declará-lo: Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? (Mt. 27, 46). Ele, o Filho amado, Aquele que é Vida (Jo. 14, 6) e em quem o Pai colocou toda sua complacência (Mt. 3, 17), aparece agora como Aquele que foi abandonado pelo Pai e que deve viver deste estado de anátema, ou seja, morrer! Eis uma oposição brutal que abala profundamente a inteligência de Maria. Continuar lendo

PACIÊNCIA E IMPACIÊNCIA – PARTE 13 – EXEMPLOS DE PACIÊNCIA – A PACIÊNCIA DE MARIA

virgem-maria

Fonte: Bulletin Hostia (SSPX Great Britain & Ireland) – Tradução: Dominus Est

Como Jesus veio para sofrer, era necessário que Maria sofresse com Ele. Este era seu maior privilégio, e ela sabia que seria assim. Ela sabia disso mesmo quando seu amor humano irrompeu em suas palavras suplicantes: “Filho, por que procedeste assim conosco?” Ela sabia disso quando ficou com o coração partido sob a cruz. Ela sabia quando recebeu, em seus braços, o Corpo do Filho, depois de ter sido descido da Cruz. Ela sabia, do princípio ao fim, que a melhor prova do amor de Nosso Senhor é dar-nos parte em Seus sofrimentos.

Esta era a consolação de Maria. Será a minha quando tenho que sofrer?

Não lemos muito nas Sagradas Escrituras a respeito da paciência de Maria, mas o suficiente para saber que Jesus, propositalmente, testou sua paciência. Por que Ele fez com que o santo Simeão penetrasse em seu coração com a previsão de seus sofrimentos futuros? Por que Ele a obrigou a começar, na noite escura, a viagem para o Egito, quando Ele poderia facilmente ter derrotado os projetos de Herodes? Por que Ele não a deixou saber onde estava quando permaneceu em Jerusalém? Por que Ele aparentemente a repreendeu nas bodas de Caná? Por que Ele permitiu que seu coração fosse dilacerado pela visão de Sua crucificação? Continuar lendo

22 DE AGOSTO – IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

Resultado de imagem para imaculado coração

***********************************

Ladainha ao Imaculado Coração de Maria

Senhor, tende piedade de nós
Cristo, tende piedade de nós
Senhor, tende piedade de nós

Cristo, olhai-nos.
Cristo, escutai-nos

Deus Pai celestial, Tem misericórdia de nós.
Deus Filho Redentor do mundo, Tem misericórdia de nós.
Deus Espírito Santo, Tem misericórdia de nós.
Santa Trindade, um só Deus, Tem misericórdia de nós.

Santa Maria, Coração Imaculado de Maria, rogai por nós
Coração de Maria, cheio de graça, rogai por nós
Coração de Maria, vaso do amor mais puro, rogai por nós
Coração de Maria, consagrado íntegro a Deus, rogai por nós
Coração de Maria, preservado de todo pecado, rogai por nós
Coração de Maria, morada da Santíssima Trindade, rogai por nós
Coração de Maria, delícia do Pai na Criação, rogai por nós
Coração de Maria, instrumento do Filho na Redenção, rogai por nós
Coração de Maria, a esposa do Espírito Santo, rogai por nós
Coração de Maria, abismo e prodígio de humildade, rogai por nós
Coração de Maria, medianeiro de todas as graças, rogai por nós
Coração de Maria, batendo em uníssono com o Coração de Jesus, rogai por nós
Coração de Maria, gozando sempre da visão beatífica, rogai por nós
Coração de Maria, holocausto do amor divino, rogai por nós
Coração de Maria, advogado ante a justiça divina, rogai por nós
Coração de Maria, transpassado por uma espada, rogai por nós
Coração de Maria, Coroado de espinhos por nossos pecados, rogai por nós
Coração de Maria, agonizando na paixão de teu Filho, rogai por nós
Coração de Maria, exultando na Ressurreição de teu Filho, rogai por nós
Coração de Maria, triunfando eternamente com Jesus, rogai por nós
Coração de Maria, fortaleza dos cristãos, rogai por nós
Coração de Maria, refúgio dos perseguidos, rogai por nós
Coração de Maria, esperança dos pecadores, rogai por nós
Coração de Maria, consolo dos moribundos, rogai por nós
Coração de Maria, alívio dos que sofrem, rogai por nós
Coração de Maria, laço de união com Cristo, rogai por nós
Coração de Maria, caminho seguro ao Céu, rogai por nós
Coração de Maria, prenda de paz e santidade, rogai por nós
Coração de Maria, vencedora das heresias, rogai por nós
Coração de Maria, da Rainha dos Céus e Terra, rogai por nós
Coração de Maria, da Mãe de Deus e da Igreja, rogai por nós
Coração de Maria, que por fim triunfarás, rogai por nós
Cordeiro de Deus que tiras o pecado do mundo, Perdoai-nos Senhor
Cordeiro de Deus que tiras o pecado do mundo, Escutai-nos Senhor
Cordeiro de Deus que tiras o pecado do mundo, Tem misericórdia de nós.

Rogai por nós Santa Mãe de Deus
R. Para que sejamos dignos de alcançar as promessas de Nosso Senhor Jesus Cristo

Oremos:
Vós que nos tens preparado no Coração Imaculado de Maria uma digna morada de teu Filho Jesus Cristo, concedei-nos a graça de viver sempre conforme a sua vontade e de cumprir seus desejos.
Por Cristo teu Filho, Nosso Senhor. Amém

15 DE AGOSTO – ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA

assum

Para ler a Meditação de Santo Afonso para essa data, clique aqui.

Para ler e ouvir um Sermão de D. Lefebvre, de 1990, sobre a Festa da Assunção, clique aqui.

Para ler e ouvir um Sermão de D. Lefebvre, de 1975, sobre a Festa da Assunção, clique aqui.

Para ler a belíssima Encíclica MUNIFICENTISSIMUS DEUS, de Pio XII, que define o Dogma da Assunção de Nossa Senhora ao Céu em Corpo e Alma, clique aqui.

Abaixo colocamos o momento da proclamação do dogma pelo Papa Pio XII

SERMÃO DE D. LEFEBVRE POR OCASIÃO DA FESTA DA ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA (15 DE AGOSTO DE 1975)

Neste sermão proferido em Êcone, em 15 de agosto de 1975, D. Lefebvre mostra como a Assunção é uma afirmação do sobrenatural, de nossa vida de união com Deus face o naturalismo contemporâneo que considera apenas esta Terra e esquece o mundo futuro.

Fonte: La Porte Latine – Tradução: Dominus Est

Para ouvir o Sermão clique aqui

Meus queridos irmãos,

Celebramos hoje o 25º aniversário da proclamação do Dogma da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria por nosso Santo Padre, o Papa Pio XII. Foi em 1º de novembro de 1950.

Tive a alegria e a felicidade de estar em Roma naquele dia, na Praça de São Pedro, e ainda posso ouvir as palavras do nosso Santo Padre, o Papa Pio XII, proclamando a Assunção da Santíssima Virgem Maria, dogma da nossa fé.

Uma verdade professada desde os tempos apostólicos

Foi em 1950, no dia 1º de novembro, que a Santa Igreja de Deus ouviu falar pela primeira vez da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria? Certamente não. Basta ler os Atos pelos quais nosso Santo Padre Pio XII proclamou a Assunção da Santíssima Virgem, para ver que desde os primeiros tempos da Igreja já se professava a Assunção da Virgem Santíssima Virgem Maria.

Seja nas imagens, seja nos vitrais, nos escritos dos Padres, a fé na Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria já era professada em toda parte. Mas não foi definido solenemente pela Santa Igreja, porque esses dogmas – é preciso recordar – não podem ser novas verdades. Toda Revelação cessou após a morte do último dos apóstolos.

Portanto, é necessário olhar para antes da morte do último dos apóstolos, para encontrar no fundo da tradição e da Revelação que nos legaram, que os apóstolos nos legaram, para afirmar as verdades nas quais devemos crer hoje. Nenhum papa pode inventar uma nova verdade que ele queira submeter à nossa fé. Ele só pode buscar esta verdade no decorrer dos séculos, significando que esta verdade já estava implicitamente contida na Revelação e na fé que os apóstolos nos deram. Este é o ensinamento da Igreja. Continuar lendo

13 DE AGOSTO EM FÁTIMA: A APARIÇÃO QUE A MAÇONARIA QUERIA EVITAR

Durante a sua primeira aparição às três crianças de Fátima, no domingo, 13 de maio de 1917, a Virgem pediu-lhes que viessem todos os dias 13 dos meses seguintes. Mas em 13 de agosto, quando uma multidão de 20.000 pessoas já lotava a Cova da Iria, nenhum dos três pastores esteve presente.

CLIQUE NA IMAGEM PARA LER O TEXTO COMPLETO

 

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – AGOSTO/23

Onde está a Assunção de Maria na Escritura

Caríssimos fiéis,

Embora agosto não tenha o título de mês mariano como maio e outubro, no entanto ele é caracterizado por duas grandes festas da Santíssima Virgem: a Assunção, em 15 de agosto, e o Imaculado Coração de Maria, no dia 22.

O coração, símbolo do amor, faz-nos pensar que Maria é modelo do amor a Deus, um modelo de caridade.

Maria supera todas as outras criaturas no amor. Mais do que qualquer outra, Maria esteve em contato com a caridade infinita, tornou-se participante dela; Maria foi repleta dela: Ela era “cheia de graça”, o Senhor estava nela, o Senhor estava com ela; o Senhor, o próprio Amor, a graça, o manancial divino do seu Coração, do seu “Coração fornalha de caridade”. Foi porque Maria era “cheia de graça”, foi porque a caridade infinita estava nela e ela estava completamente aberta a essa caridade por meio da fé, fortalecida na esperança, que ela recebeu tal abundância e, ademais, foi capaz de corresponder ela, pois, em termos de amor, o que podemos retribuir a Deus que não tenhamos recebido dele? Continuar lendo

AVISADO POR NOSSA SENHORA…

Resultado de imagem para maria santíssima imagemVicente de Bauvais narra que um jovem fidalgo inglês, chamado Ernesto, dera todos os seus bens aos pobres e entrara em um convento. Ali levara vida tão perfeita que os superiores tinham em alta conta, sobretudo por sua devoção especial à Santíssima Virgem.

Tendo aparecido na cidade terrível peste, recorreram os cidadãos aos religiosos, pedindo-lhes que os auxiliassem com suas orações. O superior deu ordem a Ernesto que se fosse pôr em oração diante do altar de Maria Santíssima; e que não se retirasse, enquanto não desse resposta. No fim de três dias Nossa Senhora respondeu que se fizessem certas preces. Apenas lhe obedeceram, cessou o flagelo.

Ora, aconteceu que, pouco a pouco, o jovem monge foi esfriando na devoção de Maria. O demônio assaltou-o com freqüentes tentações, principalmente contra a pureza e a perseverança na vocação.

O infeliz, esquecendo-se de invocar a Mãe de Deus, resolveu fugir, saltando o muro do mosteiro.

Passando por uma imagem da Virgem, que estava no corredor, ouviu as palavras:

– Meu filho, por que me abandonas?

Atordoado e confuso, Ernesto caiu por terra e respondeu:

– Mas não vedes, Senhora minha, que não posso mais resistir? Por que não vindes socorrer-me?

A Virgem replicou:

– E Tu, por que não me invocastes? Se te tivesse recomendado a mim, não terias chegado a esse ponto. De hoje em diante recorre a mim, e nada tens a temer!

O religioso assim fez e viveu sempre feliz, e conquistou o belo Céu.

Como Maria Santíssima é boa! – Frei Cancio Berri