ARGENTINA: MÉDICO PRESO POR SE RECUSAR A REALIZAR UM ABORTO

O médico argentino Leandro Rodriguez passou um ano e dois meses preso, pena que lhe foi imposta por se recusar a realizar um aborto. Ele agora pode voltar a exercer a medicina, embora também tenha sido proibido de exercer a profissão por dois anos e quatro meses, período que terminou em 30 de janeiro.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

O Dr. Rodriguez foi entrevistado pela EWTN News e explicou as origens de sua condenação: “Em 2017 eu estava trabalhando no hospital público da cidade de Cipolletti, na Patagônia. Recebi uma paciente em mau estado geral (devido a gravidez avançada, em curso de um processo de parto prematuro) mas, que decidi interromper e melhorar o estado de saúde dela.”

Esta decisão foi interpretada pelos tribunais, ou pelo poder judicial da província de Río Negro, como um obstáculo ao desejo da paciente de interromper sua gravidez. Por isso fui condenado em 2019, e essa sentença acaba de ser cumprida”, explicou.

O médico descreveu esta experiência como “muito significativa”. Ele acredita que representa “uma espécie de amostra do que pode acontecer se as pessoas não se submeterem às decisões arbitrárias dos poderes constituídos”.

Ele explica ainda que isso o levou a “uma situação de maior comprometimento no cuidado da vida, na proteção da vida do nascituro, na proteção da mulher”. A esse respeito, destacou a situação da paciente que foi considerada pelo sistema judicial como a parte prejudicada nesse caso. Continuar lendo

EUA – OS IMPACTOS POSITIVOS DAS LEIS PRÓ-VIDA

Enquanto o debate sobre o aborto se intensifica nos Estados Unidos, a menos de um ano das eleições presidenciais de novembro de 2024, chegando até mesmo a dividir os Republicanos, um estudo publicado em novembro de 2023 tende a mostrar um aumento de nascimentos em estados que proibiram interrupção voluntária da gravidez (aborto) após decisão do Supremo Tribunal Federal em junho de 2022.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Esse estudo está causando um alvoroço nos EUA, já que o debate sobre o aborto tem se intensificado desde que a Suprema Corte do país derrubou o caso Roe vs Wadeem em 2022, decisão essa que abriu o caminho para a legalização do aborto no país em 1973.

De acordo com dados coletados pelos Centros de Controlo de Doenças (CDC) e publicados em novembro passado, “durante os primeiros seis meses de 2023, os nascimentos aumentaram, em média, 2,3% nos estados que impuseram a proibição total do aborto, em comparação com aqueles em que o aborto é legal, o que representa em média 32 mil nascimentos.

Para Michael News, pesquisador associado do Charlotte Lozier Institute – o braço de pesquisa da SBA Pro-Life America – a conclusão da pesquisa do CDC, encomendada pelo IZA Institute of Labor Economics, demonstra mais uma vez que “a legislação pró-vida, onde ela existe, leva a um aumento no número de nascimentos. Continuar lendo

O ABORTO FOI RESPONSÁVEL POR MAIS DA METADE DE TODAS AS MORTES NO MUNDO EM 2022

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

De acordo com as estatísticas compiladas pelo Worldometer, o número de abortos em todo o mundo em 2022 foi superior a 73 milhões, tornando-se a principal causa de morte – 52% de um total de 140 milhões de mortes – e, assim, ultrapassou todas as outras causas somadas.

A Worldometer é uma organização independente que coleta e publica dados recebidos de governos e diversas organizações, e faz estimativas e projeções com base nesses números.

Nos Estados Unidos, estima-se que ocorram entre 1.500 e 2.500 abortos todos os dias. Quase 20% de todas as gestações nos EUA – excluindo abortos espontâneos – terminam em aborto.

Para o ano de 2020, o Instituto Guttmacher relatou 930.160 abortos induzidos nos Estados Unidos, com uma taxa de 14,4 por 1.000 mulheres, relata o Worldometer. Continuar lendo

CEMITÉRIO DE FETOS NO VIETNÃ: ABORTO COMO MEIO DE CONTRACEPÇÃO E SELEÇÃO DO SEXO DA CRIANÇA

Vietnam cimetière de foetus

Muitas comunidades católicas vietnamitas mantêm cemitérios chamados “jardins dos anjos” para o enterro digno de crianças não nascidas.

Fonte: Medias Presse Info – Tradução: Dominus Est

Poucos países no mundo realizam tantos abortos como no Vietnã. Em um cemitério de fetos, eles são enterrados para o repouso final. Quase todos são meninas.

O maior cemitério de fetos do mundo está localizado no norte do Vietnã, nos arredores de Hanói, em Soc Son: é o cemitério Doi Coc.

Neste país comunista, interromper uma gravidez nunca foi um tabu.

De acordo com estatísticas governamentais, 500.000 abortos são realizados todos os anos para 2,4 milhões de gestações: um horror institucionalizado em grande escala!

Como não existe uma monitorização sistemática, pode haver mais meio milhão de abortos não contabilizados pelas estatísticas oficiais. Isto elevaria os números para um milhão de abortos, tornando essa a taxa a mais elevada do mundo, segundo a ONG Alan Guttmacher Institute.

Por sua vez, a Associação Nacional de Planeamento Familiar (VINAFPA) estima entre 1,2 e 1,6 milhões de abortos por anop num país que tem cerca de 98 milhões de habitantes. Para efeito de comparação, 104.000 casos foram notificados na Alemanha no ano passado. Continuar lendo

BOLETIM DO PRIORADO PADRE ANCHIETA (SÃO PAULO/SP) E MENSAGEM DO PRIOR – DEZEMBRO/23

Aborto: o que é, fatores de risco, tipos - Biologia Net

Já há séculos que duas cidades entraram em conflito: a cidade de Deus e a cidade de Satanás; a cidade do Bem e a cidade do Mal; uma é a cidade da vida, a outra é a da morte. A luta é terrível, mas sabemos que a cidade de Deus triunfará no final. Nesse meio tempo, vitórias e derrotas se alternam em ambos os lados. E nossa época vive sob o jugo dos inimigos de Deus. Quando recua o reino de Deus, também recua o reino da caridade; ambos são idênticos. O reinado da força bruta está se impondo, e não é bom ser fraco. A cultura da morte que está se espalhando ataca os mais fracos. As crianças, os doentes e os idosos sempre foram objeto da proteção maternal da Igreja. Sem ela, eles estão abandonados aos carrascos. O aborto e a eutanásia são os dogmas do mundo sem Deus. Eles deixam pouca chance de sobrevivência.

Em um artigo de setembro, a Anistia Internacional (uma ONG que promove a defesa dos ditos direitos humanos e faz campanha especificamente para a abolição de todas as leis contra o aborto) publicou a seguinte manchete: “O Brasil pode ser o próximo país a dar um passo à frente na garantia do direito ao aborto”. Na cidade de Satanás, a morte é um progresso e o aborto é um direito; aqueles que se opõem a ele são “atores anti-direitos”. Para os discípulos do Príncipe das Trevas, os direitos humanos tomam o lugar dos direitos de Deus. Para nós, prevalece a lei de Deus: “Não matarás”. Esse preceito se aplica naturalmente aos inocentes. Deus nunca proibiu a autodefesa, seja ela pessoal ou pública (guerra e pena de morte). O essencial é exercê-la com justiça e prudência. O inocente pode até ser sacrificado indiretamente. Um piloto de guerra pode destruir uma ponte mesmo que haja pessoas inocentes nela. Uma mulher grávida pode salvar sua vida tomando um medicamento que terá o efeito colateral de matar seu filho. Esses casos específicos são autorizados somente se o efeito principal for bom, se o efeito ruim for secundário e indireto, e não for a intenção principal da pessoa que o causou. Por outro lado, matar diretamente uma pessoa inocente é sempre gravemente ilícito. Por exemplo, não se pode matar diretamente uma criança para salvar sua mãe. Se pode optar por salvar um ou outro. Nenhum dos dois pode ser morto diretamente. Continuar lendo

ESPANHA: MAIS DE 1 EM CADA 5 BEBÊS FOI ABORTADO EM 2022

Órgãos públicos de SC divulgam cartilha pró-aborto

Os números do aborto na Espanha em 2022 acabam de ser publicados pelo Ministério da Saúde. Em 2022, 428.208 bebês deveriam ter nascido na Espanha, mas apenas 329.892 chegaram a rir e chorar, e os outros 88.269 concebidos foram abortados.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Ou seja, 23% das crianças concebidas foram abortadas ou, em outras palavras, mais de uma criança em cada cinco não nasceu porque a mãe e a sociedade consentiram. Não só houve menos nascimentos em 2022 do que em 2021, como também ocorreram mais abortos.

Os dados mostram que:

  • 91,23% dos abortos ocorreram a pedido da mulher. Um aumento percentual em relação ao ano anterior; 
  • 5,66% porque a saúde e a vida da gestante corriam “grave perigo”, embora nenhum procedimento médico exija a morte de um bebê; 
  • 2,8% para risco de anomalia grave no feto
  • 0,31% devido a doenças extremamente graves e incuráveis.

Em 12 províncias, nenhum aborto foi realizado devido à recusa dos médicos. Os médicos que se recusam a matar crianças em gestação são alvos da nova lei do aborto. Essa lei foi aprovada não apenas pelos socialistas e comunistas, mas também pelo Partido Popular. Continuar lendo

OMS QUER GARANTIR O “DIREITO” AO ABORTO EM CASO DE PANDEMIA

O acordo sobre prevenção, preparação e intervenção em caso de pandemias, comumente denominado “Tratado da OMS sobre pandemias“, confere à Organização Mundial da Saúde (OMS) mais poderes para realocar recursos dos Estados membros em caso de pandemia.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

O governo Biden solicitou que a “saúde sexual e reprodutiva” – um eufemismo para aborto – seja incluída como serviço essencial de saúde no âmbito do Tratado sobre pandemias. Além disso, as agências internacionais que terão um papel a desempenhar na implementação do Tratado, incluindo a OMS e o Secretário-Geral da ONU, declararam que o aborto deve ser colocado entre os serviços essenciais de saúde durante a pandemia de COVID-19.

A OMS considera explicitamente o aborto um elemento fundamental do direito à saúde em inúmeros documentos, incluindo seu Guia de Atenção ao Aborto de 2022, e pode-se esperar que o aborto seja considerado um serviço de saúde essencial no contexto da implementação do Tratado.

O sigilo em torno das negociações do Tratado

Durante as negociações, o embaixador Hamamoto, nomeado por Biden, solicitou que o “acesso aos serviços essenciais de saúde em caso de pandemia, incluindo serviços de saúde sexual e reprodutiva” fosse integrado ao texto e apoiou o pedido da China para o sigilo nas negociações sobre pandemias. Continuar lendo

DEPUTADOS ESPANHÓIS RECEBEM SACOS COM RÉPLICAS DE FETOS HUMANOS ABORTADOS

Espanha – Vários deputados denunciaram terem recebido um saco contendo uma réplica de um feto humano, de doze semanas, ensanguentado. Isso foi enviado a eles na semana passada como parte de uma campanha contra a recente aprovação da lei do aborto.

Fonte: Media Presse Info – Tradução: Dominus Est

Isso foi confirmado pelos grupos parlamentares do PSOE, Unidas Podemos e EH Bildu, três dos partidos políticos que votaram a favor da nova lei do aborto na Câmara dos Deputados em 16 de dezembro.

Segundo essas fontes, os sacos vêm acompanhados de uma carta de Ignacio Arsuaga, presidente das associações Derecho a Vivir e Hazte Oír, criticando a aprovação dessa reforma. O autor da carta afirma ainda que a nova lei do aborto promovida pelo Ministério da Igualdade é “mais atroz” do que a aprovada pelo governo socialista de José Luis Rodríguez Zapatero e acusa os deputados aos quais é dirigida de terem permitido “a eliminação de seres humanos em um procedimento cirúrgico de extrema violência e crueldade”.

A carta denuncia ainda o fato de que o texto aprovado pelo Congresso, e que entrou em vigor esta semana, incita “o direcionamento daqueles médicos e trabalhadores da saúde que querem se opor conscientemente à eliminação de vidas humanas, através da criação de listas negras”.

A porta-voz do Derecho a Vivir, Inmaculada Fernández, reconheceu que a ação é “muito macabra”, mas justifica porque “o aborto é cruel, violento e sangrento, pois consiste em desmembrar, sugar um bebê no ventre materno. É muito macabro, mas é exatamente o que aprovaram.”

ABORTISTA POSA TODA SORRIDENTE COM SEU INSTRUMENTO MORTÍFERO E GERA POLÊMICA NOS EUA

Fonte: Media Presse Info – Tradução: Dominus Est

A autoproclamada “ginecoligista/obstetra queer” Dra. Katie McHugh publicou um tweet na sexta-feira qualificando o aborto como “comum ”, “moral ” e de “valor familiar. Para ilustrar sua mensagem, McHugh anexou uma foto sua posando com uma cânula, um instrumento usado em abortos cirúrgicos para sugar um bebê para fora do útero de sua mãe.

Feliz sexta-feira! #Os cuidados pelo aborto ainda são legais na Indiana”, twittou McHugh na sexta-feira. “Estamos fazendo tudo o que podemos para mantê-lo assim.”

“ #AbortionIsHealthcare – uma prioridade comunitária, um valor familiar e uma parte normal da vida ”, continuou McHugh. “O aborto é moral, comum e não desaparecerá. Nós também não. 

A mórbida e sorridente comunicação de McHugh desencadeou muitas reações negativas, incluindo alguns que se declaram pró-aborto.

O ex-campeão do UFC/MMA Jake Shields, que se descreve como “pró-escolha”’, respondeu a mensagem de McHugh dizendo: “Ver como você está feliz matando bebês me faz questionar minha posição pró-escolha (sic) .”

Da mesma forma, Joshua Reed Eakle, diretor de marketing da Students for Liberty, uma organização libertária, twitou: “O aborto nunca deveria acontecer. Digo isso como alguém que se opõe a que isso seja ilegal. Que mensagem absolutamente desconcertante e assustadora.”

SATANISTAS PLANEJAM “RITUAL DE AFIRMAÇÃO DE GÊNERO”

Fonte: Media Presse Info – Tradução: Dominus Est

O satanismo tem-se tornado cada vez mais presente na vida pública nos Estados Unidos, com membros que defendem ativamente o aborto, questões LGBT e transgenerismo.

O deputado estadual republicano de Idaho, Bruce Skaug, apresentou na semana passada a “Lei de Proteção às Crianças Vulneráveis “. A medida tornaria crime fornecer medicamentos que bloqueiam a puberdade ou realizar cirurgias de “afirmação de gênero ”  em menores. Os infratores podem pegar até 10 anos de prisão. Mais da metade de todos os estados americanos estão preparando uma legislação que proíbe intervenções farmacêuticas e cirúrgicas de gênero para menores de idade.

A decisão de proteger as crianças da ideologia transgênera ganhou popularidade, especialmente entre os cristãos.

Mas o Templo Satânico contra-atacou promovendo o satânico “ritual de afirmação de gênero“, intitulado “Hail Yourself – Salve-se“, afirmando que os satanistas não apenas aceitam identidades LGBTQIA+, mas as “celebram e afirmam “.

O templo satânico anuncia um primeiro ritual desse tipo em 13 de fevereiro. E, provocativamente, anuncia sua intenção de realizar este ritual no Capitólio de Idaho.

Além de promover a agenda LGBT através de cerimônias satânicas, o grupo satânico também reivindicou o aborto como um de seus “rituais” religiosos. A organização satânica planeja abrir uma “clínica” de aborto no Novo México. O grupo afirma que o aborto deveria ser protegido pela Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos pois a morte de crianças ainda não nascidas é um “ritual” satânico que é “uma parte essencial” de sua “prática religiosa“.

Erin Helian, diretora executiva de campanhas do TST, disse que o grupo “tem orgulho de expandir as opções reprodutivas para nossos membros”, acrescentando que a ironicamente chamada “clínica” no Novo México “é apenas o começo”.

ESTADOS UNIDOS: UNIVERSIDADES CATÓLICAS MULTIPLICAM O NÚMERO DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE PRÓ-VIDA

Sinal de esperança vindo dos Estados Unidos: após a anulação do caso Roe vs. Wade, os leigos tomam a iniciativa de investir no sistema de saúde através da formação de profissionais com os ideais da cultura da vida.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

A decisão histórica tomada nos EUA em 24 de junho de 2022 ainda permanece gravada na memória das pessoas: naquele dia, a Suprema Corte dos Estados Unidos anulou o caso Roe vs. Wade, datada de 1973, pondo um fim a quase meio século de aborto permitido pelo tribunal em todo o país.

Este terremoto político ainda está sendo sentido nos círculos pró-vida, galvanizados pelo golpe desferido contra a cultura da morte pela mais alta corte do país: algumas universidades católicas decidiram até mesmo investir mais na área médica, oferecendo uma formação focada no respeito à vida.

Assim, mais de metade das instituições de ensino superior referenciadas pelo Newman Guide – publicação do Cardinal Newman Institute, que apoia as universidades empenhadas em oferecer uma formação de acordo com a moral e os dogmas católicos – oferece formação específica no domínio da saúde. Continuar lendo

MARCHA PELA VIDA NOS ESTADOS UNIDOS

Fonte: Medias-Presse-Info Tradução: Dominus Est

Dezenas de milhares de Pró-Vida enfrentaram o frio para caminhar até o Capitólio dos Estados Unidos para a 50ª Marcha anual pela Vida.

Foi a primeira Marcha nacional desde que a Suprema Corte dos EUA anulou o caso Roe. O tema deste ano foi “Próximos Passos: Caminhando para uma América pós-Roe”. Eis porque a Marcha terminou no Capitólio, onde as batalhas legislativas continuarão sobre o financiamento dos contribuintes à Planned Parenthood, as tentativas dos democratas de codificar um “direito” ao aborto, as proteções federais para os nascituros, etc.

A alta participação reflete tanto a energia dos ativistas pró-vida encorajados pela decisão da Suprema Corte quanto o fato de que as restrições do COVID-19 à reuniões públicas de massa terem sido amplamente descartadas. A Marcha pela Vida havia sido cancelada em 2021, sob o pretexto de uma pandemia.

É impressionante constatar que as mulheres jovens sejam tão numerosas entre os participantes da Marcha pela Vida. É muito encorajador.

GOVERNO DE JOE BINDEN (EUA) AUTORIZA DROGARIAS A DISPENSAR “MEDICAMENTOS” PARA ABORTOS EM DOMICÍLIO

Estados Unidos – O FDA (Food and Drug Administration) introduziu na terça-feira, 03/01/23, uma mudança regulatória que permitirá que as drogarias ofereçam pílulas abortivas. Grupos pró-vida estão se mobilizando para organizar um boicote às redes farmacêuticas que oferecem esse material abortivo.

Fonte: Medias-Presse-info – Tradução: Dominus Est

No contexto da mudança regulatória, as farmácias que obtiverem a certificação poderão dispensar mifepristona – que é usada, com o misoprostol, em abortos no primeiro trimestre de gestação – diretamente às pacientes que receberem a prescrição de um profissional de saúde certificado, anuncia o laboratório Danco, um dos fabricante da pílula.

A mifepristona é aprovada pelo FDA nos Estados Unidos sob o programa REMS (Risk Evaluation and Mitigation System – Sistema de Avaliação e Mitigação de Riscos). Anteriormente, a mifepristona só podia ser dispensada em clínicas, consultórios médicos e hospitais ou sob a supervisão de um profissional de saúde licenciado.

Enquanto mais e mais estados americanos proíbem ou restringem o aborto, as autoridades federais se precipitam em uma contraofensiva mortal. Continuar lendo

ABORTO: PRINCIPAL CAUSA DE MORTE NO MUNDO EM 2022

Mais pessoas morreram devido aos abortos em 2022 do que de qualquer outra causa. Estatísticas compiladas pelo Worldometer indicam que mais de 44 milhões de abortos ocorreram em todo o mundo no último ano. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima a cifra de 73 milhões.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

O Wordldometer é uma instituição independente que coleta dados de governos e outras organizações e, a partir desses dados, produz relatórios contendo estimativas e projeções.

A instituição baseia seus números em um informativo da OMS, que estima que o número de abortos por ano seja ainda maior que o do Worldometer . “Cerca de 73 milhões de abortos induzidos ocorrem a cada ano em todo o mundo“, diz a OMS.

Se compararmos os números relativos ao aborto com outras causas de morte: câncer, AIDS, acidentes de trânsito e suicídio, os abortos superam, de longe, todas as outras causas.

Em 2022, estima-se que 9,6 milhões de pessoas morreram de câncer, 6 milhões de tabagismo, 16 milhões de várias doenças comuns e 2 milhões de AIDS. As mortes por malária e álcool também são significativas. Continuar lendo

ESPANHA: CONGRESSO APROVA LEI QUE REDUZ PARA 16 ANOS A IDADE PARA O ABORTO SEM O CONSENTIMENTO DOS PAIS

A reforma da legislação sobre o aborto deu seu passo mais decisivo na quinta-feira, 17 de dezembro. Ela autoriza a realização de abortos em meninas a partir dos 16 anos sem a autorização dos pais.

Fonte: Médias-Presse-Info – Tradução: Dominus Est

A aprovação da chamada Lei Orgânica sobre Saúde Sexual e Reprodutiva e Interrupção Voluntária da Gravidez ainda deve tramitar no Senado, onde deverá ser ratificada, para entrar em vigor.

190 deputados (do PSOE, United We Can, ERC, PNV, EH Bildu, Más País e Compromís) votaram a favor desta reforma mortal, enquanto 154 votaram contra (do PP, Vox, Ciudadanos e Navarra Suma). Houve cinco abstenções.

A reforma também suprime o período de reflexão de três dias entre a decisão de abortar e a data do aborto, que existe atualmente, bem como a obrigação de receber informações sobre os recursos e auxílios disponíveis caso a gravidez continue. Por outro lado, será criado um cadastro de profissionais que não queiram realizar abortos, fazendo alusão à sua objeção de consciência.

A lei excluirá os médicos contrários ao aborto das comissões clínicas que intervêm para confirmar ou não a doença grave ou incurável do feto nos casos em que a mãe alegue razões médicas para interromper a gravidez. A reforma proibirá os médicos que expressaram sua objeção de consciência à realização de abortos de avaliar esses casos, bem como aqueles que constam nesses registros de objeção nos últimos três anos.

Os centros de saúde e centros de serviços de “saúde sexual e reprodutiva” distribuirão gratuitamente a pílula abortiva “do dia seguinte”, que até agora só podia ser obtida nas farmácias por cerca de 20 euros.

ESPANHA: CLÍNICAS DE ABORTO CONDENADAS POR “PROPAGANDA ENGANOSA”

Em 14 de setembro de 2022, a Suprema Corte espanhola confirmou a decisão proferida em janeiro de 2020 pelo Tribunal Provincial de Oviedo que condena a Associação de Clínicas Credenciadas para a Interrupção Voluntária da Gravidez (ACAI) por “propaganda enganosa”.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Com efeito, explica o site Gènéthique, a associação dessas clínicas declara em seu site que “a interrupção da gravidez é uma operação que não deixa qualquer sequela“. A ACAI, que reúne a maioria dos centros autorizados para a realização de abortos, terá, portanto, de arcar com as despesas do processo e publicar a sentença da Suprema Corte em seu site.

A Suprema Corte espanhola, dessa forma, concordou com a Fundação Espanhola de Juristas Cristãos,  Abogados Cristianos, que denunciou a ACAI por ter ocultado dass mulheres as possíveis consequências de um aborto.

Em resposta a uma das perguntas frequentemente postadas em seu site, a ACAI afirmou: “A interrupção da gravidez é uma operação que não deixa qualquer sequela, de modo que quando você engravidar, será como se não tivesse feito um aborto antes.” Continuar lendo

HÁ UM CORAÇÃO QUE BATE

C’è un cuore che batte.

Fonte: Radio Spada – Tradução: Dominus Est

A lei húngara que obriga os médicos a fazer as mulheres que estão prestes a recorrer ao aborto à ouvir os batimentos cardíacos do feto suscitou reações diversas.

Em breve isso acontecerá também na Itália ”, alguns já temem. Talvez…e seria apenas uma gota no mar do mal sobre o qual flutua o aborto estatal: mas nossas feministas podem ficar tranquilas, pois Giorgia Meloni(*) declarou repetidamente que não quer tocar na lei 194 (da Italia), e o mesmo acontece com Matteo Salvini(*) (que, pelo menos, deu crédito às atividades dos Centros de Ajuda à Vida que, desde 1978, salvaram 240.000 crianças e tantas mães do aborto, muitas vezes com meios muito limitados e graças apenas e somente ao voluntariado). Não se preocupe, portanto: aqueles que são majoritariamente suspeitos de querer fazer algo para proteger os nascituros lavaram serenamente as mãos.

Mas voltemos a nós: se um coração bate, qual é o problema?

Os que falam em “crueldade” ao ouvir os batimentos cardíacos e apresentar as funções vitais do nascituro, o que quer exatamente? Existem duas hipóteses: a) a mãe que pede o aborto não sabe o que está fazendo e poderia, assim, ter consciência do ato; b) a mãe que pede o aborto sabe exatamente o que está fazendo e “ter a certeza” da vida do nascituro poderia torná-la plenamente consciente das implicações morais de seu gesto. Em ambas as hipóteses, o problema é, na realidade, apenas um e é chamado de consciência, que é o que nos distingue dos animais.

Toda a ideologia abortista ataca e fere a mulher nas profundezas de sua natureza, faz dela algo que ela não é e as mães que caíram na armadilha do aborto estão bem cientes disso: trata-se de uma mentira oculta pelo medo e que emerge tremendamente no momento em que medo se dissolve. Ora, não permitir que a gestante tome plena consciência da humanidade do concebido, do ser semelhante a ela, mas completamente indefeso, é um ataque violentíssimo à dignidade da mulher: significa escondê-la da realidade, tratando-a como uma pessoa inapta a entender o significado de suas próprias ações. Continuar lendo

OMS ANUNCIA PLANO PARA PROMOVER IDEOLOGIA DE GÊNERO

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou recentemente que está atualizando seu manual sobre “a integração da perspectiva do gênero” com base no princípio de que “a identidade de gênero existe em um continuum e que o sexo não se limita a homens ou mulheres”.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

A OMS indica que está atualizando este manual “à luz de novos dados científicos e avanços conceituais sobre gênero, saúde e desenvolvimento”.

O manual será atualizado em colaboração com o Instituto Internacional de Saúde Global da Universidade das Nações Unidas, e um período para comentários e contribuições será aberto durante o verão e o outono de 2022.

De acordo com a descrição do projeto compartilhada pela OMS, muitas questões polêmicas já foram implementadas, incluindo um segmento sobre “interseccionalidade” – também conhecido como sobreposição parcial – entre diferentes tipos de identidades de acordo com dinâmicas de poder, todas inspiradas em estudos feministas influenciados pelo existencialismo e marxismo. Continuar lendo

ABORTO, O GRITO SILENCIOSO

OS PECADOS QUE CLAMAM VINGANÇA AO CÉU

A DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO – CRIME QUE CLAMA VINGANÇA AO CÉU

HOMEM DESDE O MOMENTO DA CONCEPÇÃO

ABORTO E CONTRACEPÇÃO – VÍDEOS DA FSSPX PORTUGAL

SOBRE O QUINTO MANDAMENTO, ABORTO E PENA DE MORTE

SACERDOTE: DEPOIS DE SER ABUSADA, MINHA MÃE NÃO ABORTOU, PERDOEI E CONFESSEI O MEU PAI

ELE FOI CONCEBIDO EM UM ESTUPRO E HOJE É UM SACERDOTE

DOCUMENTOS/TESES/CONFERÊNCIAS SOBRE AS FALÁCIAS DO ABORTO – PARA DOWNLOAD

************************************

PARA MAIS NOTÍCIAS E TEXTOS DE NOSSO BLOG SOBRE O ABORTO, CLIQUE AQUI.

ESPANHA VOTA A FAVOR DO CRIME DE “OBSTRUÇÃO AO ABORTO

O Senado espanhol aprovou uma emenda ao Código Penal que prevê penas de prisão aos pró-vida que se encontrarem próximos às clínicas de aborto. Essa medida já havia sido aprovada no Congresso dos Deputados e foi finalmente aprovada, sem alterações, no Senado, em 6 de abril. Ela entrará oficialmente em vigor assim que publicada no Boletim Oficial do Estado (BOE).

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Esta alteração, promovida pelo Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), reforma o artigo 172º-C do Código Penal, que estipula que serão impostas penas de prisão a qualquer pessoa que “a fim de impedir o exercício do direito à interrupção voluntária da gravidez, assedie uma mulher por atos incômodos, ofensivos, intimidatórios ou coercitivos que atentem contra sua liberdade”.

Penalidades semelhantes serão impostas àqueles que interagem com “médicos ou responsáveis ​​por centros autorizados a realizar a interrupção da gravidez com o objetivo de dificultar o exercício da sua profissão ou da sua função”.

As penas incorridas são prisão – de 3 meses a 1 ano – ou prestação de serviços comunitários – de 31 a 80 dias. O tribunal pode proibir pessoas condenadas “de visitar certos lugares [ao redor de clínicas de aborto] por um período de 6 meses a 3 anos“. Especifica-se que “não é necessária a queixa da pessoa lesada ou do seu representante legal”. Continuar lendo

UM PASSO À FRENTE NO PROGRESSO…DO GENOCÍDIO DA HUMANIDADE

Fonte: Médias Presse Info – Tradução: Dominus Est

Enquanto as mentes estão ocupadas com a guerra na Ucrânia e o ressurgimento da pandemia do perverso covid, o progressismo continua sua marcha rumo a um progresso cada vez maior. Um progresso sinônimo de aborto, eutanásia,  cultura do cancelamento (cancel culture), redução da população, “fluidez” do gênero, etc..

Assim, – e infelizmente isso não é uma piada de primeiro de abril, mas seria de mau gosto: o Estado de Nova York acaba de aprovar o “aborto” pós-natal, ou seja, o infanticídio. Além disso, essa aprovação foi “ovacionada de pé“, da mesma forma que aqueles políticos “bem-intencionados” fizeram a Zelensky, o comediante-presidente da Ucrânia, durante sua turnê mundial por uma Terceira Guerra Mundial.

Na Califórnia, outro estado progressista nos Estados Unidos, um projeto de lei está em discussão para legalizar a morte de bebês até 6 semanas após o nascimento.

E a OMS, amplamente controlada e condicionada pelo financiamento de multinacionais farmacêuticas e pelas fundações “filantrópicas” dos suspeitos habituais: Fundação Bill e Melinda Gates, não fica de fora neste pântano de horrores: em suas novas diretrizes, a Organização Mundial da Saúde está apelando aos países membros para que revoguem as leis anti-aborto que fixam “limites gestacionais” e que violam os direitos de “mulheres, meninas ou outras pessoas grávidas”(sic!). A OMS também ataca a objeção de consciência. 

Os grupos pró-aborto estão regozijando. 

EUROPA: AMEAÇAS À OBJEÇÃO DE CONSCIÊNCIA

De acordo com um relatório recente, o direito à objeção de consciência dos profissionais de saúde está ameaçado em vários países europeus, em especial na França, Espanha e Suécia. Ao mesmo tempo, o estudo observa o ressurgimento de atos anticristãos que ocorrem em um silêncio ensurdecedor.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Depois do direito à vida, é o direito à objeção de consciência dos profissionais da saúde que está na mira de vários países membros da União Europeia (UE). Essa é a conclusão do relatório de 71 páginas publicado em 7 de dezembro de 2021 pelo Observatório da Intolerância e Discriminação contra os Cristãos na Europa (OIDAC). https://www.intoleranceagainstchristians.eu/

A ONG, sediada em Viena (Áustria), realizou uma investigação em 5 países: França, Alemanha, Espanha, Suécia e Reino Unido. Sua constatação é inequívoca: há uma pressão constante para eliminar a objeção de consciência, principalmente em relação ao aborto.

Ao ponto – ainda segundo o OIDAC – de acarretar “uma exclusão sistemática e completa dos cristãos do exercício de certas profissões”. Na Suécia, por exemplo, os profissionais de saúde de fé cristã estão enfrentando procedimentos de demissão por exercerem o que acreditam ser seu direito à objeção de consciência.

Nesta área, não há necessidade de recorrer à UE: em 2020, o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem recusou-se, de fato, a examinar o caso de 2 parteiras, Ellinor Grimmark e Linda Steen, não admitidas por se recusarem a submeter-se a uma interrupção voluntária da gravidez (aborto). Continuar lendo

ONGS FEMINISTAS PROPÕEM ABORTO CONTRA A MUDANÇA CLIMÁTICA

ONGs feministas de planejamento familiar estão promovendo o uso do “planejamento familiar voluntário” como uma “solução eficaz” para conter o crescimento populacional e mitigar os efeitos das mudanças climáticas.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Citando o impacto das alterações climáticas sobre mulheres e meninas, a Women and Gender Constituency apelou aos governos participantes da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26) para que investissem em ações climáticas justas do ponto de vista (…) de gênero e saúde“, compreendendo direitos à saúde sexual e reprodutiva.

Depois de serem excluídos da cúpula da ONU sobre o clima em 2015 em Paris, as defensoras do aborto e as ONGs de planejamento familiar estão ansiosas por influenciar a COP26 e obter sua parte dos bilhões de dólares que esperam.

A coalizão pró-aborto Women Deliver e o Fundo das Nações Unidas pela População(FNUPP) apelaram ao avanço dos direitos em matéria de saúde sexual e reprodutiva para assegurar “resiliência e adaptação climática” para mulheres e meninas, argumentando que doenças relacionadas ao clima, estresse térmico e insegurança alimentar não afetam apenas a saúde materna, mas também aumentam a vulnerabilidade à violência de gênero. Continuar lendo

O ABORTO FOI A PRINCIPAL CAUSA DE MORTE EM TODO O MUNDO EM 2021

A empresa Worldometer publicou um relatório em 31 de dezembro mostrando que o aborto foi a principal causa de morte no mundo em 2021, com 42,6 milhões de não-nascidos. Isso eleva o aborto ao nível de genocídio.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Mais de 42% de todas as mortes em 2021 foram de crianças assassinadas no ventre materno, de acordo com o Worldometer, um site de referência, utilizando dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). As mortes, independentes das causas, totalizaram 101,5 milhões de pessoas: dessas, 42,6 milhões de abortos.

As mortes por todas as outras causas somadas chegam a 58,7 milhões. Assim, o aborto matou mais pessoas do que o câncer, AIDS, malária, acidentes de trânsito, etc.

Se compararmos este número com o número de mortes pela Covid 19, que segundo a OMS, chegou a cerca de 3,5 milhões no ano, podemos medir a escala do genocídio de vidas inocentes por nascer.

O Worldometer foi reconhecido como um dos melhores sites de referência pela American Library Association, relata Breitbart. Esta organização é dirigida por uma equipe internacional de desenvolvedores, pesquisadores e voluntários cujo objetivo é produzir estatísticas globais.

O crime de aborto, cometido contra inocentes indefesos, clama por vingança perante Deus (veja aqui e aqui), segundo a expressão bíblica. E alguns perguntarão por que somos atingidos pelos males de hoje…

A SEITA “O TEMPLO SATÂNICO” CONSIDERA O ABORTO “UM RITUAL RELIGIOSO SATÂNICO”

Fonte: Médias-Presse-Info – Tradução: Dominus Est

Nos Estados Unidos, o Templo Satânico decidiu desafiar a recente lei texana que proíbe o aborto após seis semanas usando um argumento que diz muito sobre o obscuro princípio do aborto. A seita, que é incrivelmente reconhecida pelas autoridades fiscais americanas como uma “organização religiosa“, pediu para ser excluída da nova legislação em virtude da Lei de Restauração da Liberdade Religiosa, ou seja, em virtude do princípio da liberdade religiosa.

O Templo de Satanás considera o aborto como um ritual religioso baseado na autonomia do corpo e na “ciência” e, ao mesmo tempo, considera a lei do Texas “tirânica”. “Ao limitar o contexto no qual o ritual ocorre, o próprio ritual fica limitado“, disse o representante legal dos satanistas, Matthew Kezhaya, aventurando-se então a fazer uma comparação blasfema com a Eucaristia. A seita enviou uma carta ao FDA (Food and Drug Administration) solicitando que seus membros tenham acesso à medicamentos abortivos sem estarem sujeitos aos regulamentos do próprio FDA e isso ainda de acordo com a ideia de que o aborto é, para o Templo Satânico, um “ritual religioso”.

Alguns jornais liberais saudaram a iniciativa do Templo Satânico: para o Huffington Post é “diabolicamente inteligente“, para o Salon “pode ​​ser a última, a maior esperança para salvar os direitos ao aborto no Texas” e mesmo o Fortune fala sobre a “última esperança” vinda dos satanistas.

A verdade diabólica do aborto sai das bocas do próprio inferno.

Francesca de Villasmundo

GOVERNO ESPANHOL QUER AFROUXAR LEI DE ABORTO

Irene Montero, Ministra da “Igualdade”

O governo social-comunista da Espanha se prepara para afrouxar a lei do aborto. O objetivo final seria descriminalizar definitivamente o aborto, ou seja, torná-lo um direito.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Após a aprovação da lei sobre a eutanásia e após o sinal verde do Conselho de Ministros para a Lei Trans, que permitiria uma mudança do estado civil a partir dos 14 anos, a coligação do Partido Socialista dos Trabalhadores Espanhóis (PSOE) e os comunistas do Podemos agora querem uma nova reviravolta sobre o aborto.

Como afirma a Ministra da Igualdade, Irene Montero, “a Espanha está pronta para descriminalizar definitivamente o aborto”, que desde 1985 já custou a vida a cerca de 150.000 crianças arrancadas de suas mães.

A entusiasta do aborto

A proposta compreende quatro objetivos declarados:

– terminar com os três dias obrigatórios de reflexão antes de proceder ao aborto, atualmente previstos na lei;

– aumentar as penas contra os socorristas, incluindo prisão, a fim de proteger as instalações para aborto e privar as mães de seu direito à informação;

– suprimir o consentimento dos pais para menores que desejam fazer um aborto;

– limitar a objeção de consciência dos trabalhadores da saúde, pois a maioria quer salvar vidas, acusando o aborto de não ter nada de médico.

Como é fácil constatar, o objetivo é, por um lado, fazer com que o aborto pareça um procedimento normal da vida, um cuidado rotineiro, que não precisa de uma longa reflexão. Por outro lado, limitar ao máximo a oposição à lei, especialmente por parte dos médicos que poderiam ser privados de um direito fundamental: a recusa de matar uma criança inocente. Continuar lendo

AS CRIANÇAS, ALVOS DA NOVA ORDEM MUNDIAL

A Unicef ​​- Fundo Internacional das Nações Unidas para a Infância – reitera essa opinião. Um artigo recente denunciou o laxismo de suas orientações sobre a proteção de crianças em relação a sites pornográficos. Este presente artigo mostra que não foi um lapso isolado.

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

É mais uma vez o site C-Fam que alerta: a Agência das Nações Unidas para a infância reivindica ser mandatária na promoção do aborto, a contracepção e os direitos LGBTI nos Estados membros da ONU.

O projeto do Unicef ​​prevê a promoção da “saúde e dos direitos sexuais e reprodutivos”, um termo que inclui o aborto e os direitos LGBT, bem como “educação sexual integral”.

Esses polêmicos elementos foram repetidamente rejeitados pelos Estados-membros da ONU e os planos estratégicos precedentes da Unicef ​​não os incluíam.

Além de comprometer a Agência a trabalhar com “saúde e direitos sexuais e reprodutivos”, o projeto inclui a “saúde sexual e reprodutiva” como uma área de saúde distinta da saúde materna e da AIDS. Isso implica que a Agência está buscando um mandato para promover o aborto e a contracepção. Continuar lendo

EUGENIA CONTRA CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN

Fonte DICI / La Nuova Bussula Cotidiana – Tradução: Dominus Est

A descriminalização do aborto, associada à ampla disponibilidade de testes que permitem a detecção precoce de anomalias no feto, desencadeou a implacável lógica da eugenia. O caso da trissomia do cromossomo 21 é emblemático nesta área.

Era inevitável, e aqueles que ainda escondem o rosto ou são hipócritas ou são ingênuos, para usar de um eufemismo. Se, por um lado, a autoridade permite o assassinato do bebê no útero materno e, por outro lado, os laboratórios estão desenvolvendo testes cada vez mais eficientes e previdentes para anomalias genéticas, não há necessidade de um especialista para prever o que acontecerá.

Se, finalmente, como vimos em muitos países, o sistema de “saúde” reembolsa esses testes, o que equivale a um incentivo, os ingredientes para a eugenia estatal estão lá. E, embora os responsáveis possam ​​sempre tentar negá-lo, explicando que são os pais decidem, não é difícil contrapor que eles forneceram as armas para matar.

O que era tão previsível e já observado aqui e ali em alguns estudos, acaba de ser trazido à luz por um artigo no European Journal of Human Genetics , publicado a 31 de outubro.

Os autores estudaram ao longo de 5 anos, de 2011 a 2015, a evolução da percentagem de nascimentos de crianças com síndrome de Down em toda a Europa. Parece que, em 5 anos, essa taxa diminuiu 54%: ou seja, caiu praticamente pela metade. Continuar lendo

O ABORTO É A PRINCIPAL CAUSA DE MORTE NO MUNDO

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Nossa época é repleta de números. Tudo é medido, catalogado, numerado: toda a vida humana está ligada a números. Estatísticas sobre tudo e qualquer coisa são publicadas regularmente. No entanto, prefere-se ignorar algumas delas.

Mas infelizmente os gráficos, as tabelas, as curvas estão diante de nós e impõem a rudeza impiedosa de sua luz. Estatísticas globais de aborto permitem entender até que ponto o mundo está sob o controle do maligno.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulga os números … para lamentar que muitos abortos são feitos em condições péssimas e perigosas para as mulheres. Mas admite que entre 2010 e 2014 houve quase 56 milhões de abortos por ano. Desde 2014 os números não diminuíram.

Em 2019, o número de mortes registradas se aproximava de 60 milhões. Mas a principal causa de morte no mundo, as doenças cardíacas, ceifaram menos de 10 milhões de vidas. Mesmo juntas, as 10 principais causas de morte não causaram tantas vítimas quanto o aborto. Continuar lendo

PAREM O ABORTO! – TELEGRAMA DE D. LEFEBVRE

41 ANOS DA DECLARAÇÃO DE D. LEFEBVRE | DOMINUS EST

Fonte: La Porte Latine – Tradução: Dominus Est

A lei Veil de 1975, legalizando o aborto (na França), foi promulgada à título experimental por 5 anos. Uma lei de 1979 a renovaria sem limite de tempo. Nesta ocasião, Mons. Lefebvre enviou o seguinte telegrama ao Presidente da República.

O Telegrama

Pelo voto que lhe foi confiado, o senhor comprometerá gravemente vossa consciência diante de Deus, pois o 5º mandamento do Decálogo proíbe o assassinato. É por esta razão que, em face da gravidade do aborto, a Igreja levanta severas sanções (cânon 2350). Todos aqueles que contribuem física ou moralmente para um aborto são excomungados.

Mons. Lefebvre

O Sr. Valéry Giscard d’Estaign, Presidente da República Francesa, recebeu este telegrama oficial na tarde de terça-feira, 27 de novembro de 1979.

Ao mesmo tempo, 320 deputados, embaixadores e jornalistas estavam de posse deste texto enviado por telegrama pessoal.

Fideliter, número 13, janeiro/fevereiro de 1980.