OTIMISMO NA JUVENTUDE – PALAVRAS DE MONS. LEFEBVRE

Eis algumas palavras do monsenhor Marcel Lefebvre sobre os jovens velentes que escapam da influência do atual ambiente corrompido e que representam uma verdadeira esperança para a Igreja.

Fonte: FSSPX México – Tradução: Dominus Est

Outra razão para o otimismo é o Espírito Santo, que trabalha em tantos jovens como em um novo Pentecostes. Como é possível que tantos jovens, tão bem formados, entusiastas e apaixonados como os outros, entre os que vivem, não se tenham deixado contaminar pela contestação, pelo espírito de rebeldia ou pela busca de prazeres? Como escaparam da influência de um ambiente intelectualmente corrompido e muitas vezes moralmente? Este é claramente o milagre que se manifesta diante de nós de uma maneira cada vez mais evidente. Há grupos de jovens, geralmente universitários ou jovens empregados, seja na França, na Itália ou na América do Sul, que são a verdadeira esperança da Igreja. A imprensa mundial não se ocupa com tais jovens nem com suas atividades. Prefere hippies, os cabeludos e outras espécies de desequilibrados, e também se interessa pelos autênticos anarquistas, como Cohn Bendit e outros parecidos.

Não podemos deixar de comprovar que está surgindo uma nova juventude, diante de outra decadente, desequilibrada, sedenta por rebelião, destruição e contestação. Temos que fazer todos os esforços necessários para sustentar a juventude sã e autenticamente cristã. Dela surgirão cada vez mais numerosas as boas vocações sacerdotais e religiosas e, certamente, também dela emergirão novas fundações cheias de vitalidade à medida que se nutrem nas verdadeiras fontes tradicionais de santidade. Dela sairão as verdadeiras famílias cristãs, sãs ​​e com muitos filhos, e igualmente cidadãos clarividentes, velentess e capazes de fazer valer suas convicções religiosas em todas as esferas da vida individual e social.

De agora em diante, não é mais tempo para compromissos, diálogos de surdos ou mãos estendidas ao demônio; o que existem são crentes e não-crentes, verdadeiros adoradores de Deus e ímpios; aqueles que acreditam numa moral individual, social, econômica e política estabelecida por Deus e procuram submeter-se a ela, e aqueles que inventam uma moralidade a serviço de seus instintos egoístas.

Há de se escolher. Agora, uma juventude mais numerosa do que se pensa já escolheu, como os cruzados de outra época ou como os filhos de São Francisco, confiando na Cruz de Jesus Cristo, pelo qual eles vencerão.

Cartas Pastorais e Escritas – Mons. Marcel Lefebvre +